10.04.2017  /  15:28

Fox News vai investigar denúncias de assédio contra Bill O’Reilly

Bill O'Reilly e a matéria do 'Times' || Créditos: Reprodução/Fox News/The New York Times
Bill O’Reilly e a matéria do ‘Times’ || Créditos: Reprodução/Fox News/The New York Times

Enquanto no Brasil o caso de assédio sexual envolvendo o ator José Mayer foi uma das notícias mais comentadas da semana passada, nos Estados Unidos quem enfrenta acusações pelo mesmo crime é o apresentador Bill O’Reilly, do canal de notícias Fox News. A denúncia contra ele foi feita por Wendy Welsh, uma ex-convidada de seu programa, o “The O’Reilly Factor”.

Wendy, que é psicóloga e radialista, afirmou em um vídeo publicado no Youtube há alguns dias que enfrentou dificuldades para conseguir um emprego na Fox News depois de ter recusado um convite de O’Reilly para visitá-lo em um quarto de hotel, em 2013. Em um comunicado, o apresentador se defendeu dizendo que é um alvo fácil por ser famoso, mas na noite de domingo a Fox News confirmou que abriu uma sindicância interna para investigar as acusações contra ele.

Segundo uma reportagem do “The New York Times”, O’Reilly e o canal, que pertence a Rupert Murdoch, já desembolsaram mais de US$ 13 milhões (R$ 40,8 milhões) para fechar acordos fora dos tribunais com pelo menos outras cinco mulheres que o acusaram de assédio. A polêmica é tão grande que várias empresas já suspenderam a publicidade de seus produtos nos intervalos do “The O’Reilly Factor”, inclusive a BMW, a farmacêutica GlaxoSmithKline e a seguradora Allstate Corp. (Por Anderson Antunes)