11.05.2020  /  9:47

Fortuna do homem mais rico da Europa encolheu quase R$ 200 bilhões por causa da pandemia

Bernard Arnault || Créditos: Reprodução

A crise do novo coronavírus fez com que a fortuna de Bernard Arnault, o homem mais rico da Europa, encolhesse em nada menos que US$ 30 bilhões (R$ 173,7 bilhões). CEO e maior acionista do conglomerado de luxo LVMH, que é dono de marcas como Louis Vuitton e Dior, o bilionário de 71 anos chegou a ameaçar o posto de homem mais rico do mundo mantido por Jeff Bezos desde 2017 no fim do ano passado, quando sua fortuna atingiu US$ 110,2 bilhões (R$ 638 bilhões) e superou a do fundador da Amazon durante alguns minutos. Arnault agora tem estimados US$ 91,6 bilhões (R$ 530,4 bilhões).

Curiosamente, o patrimônio de Bezos aumentou em cerca de US$ 30 bilhões (R$ 173,7 bilhões) para US$ 143,4 bilhões (R$  830,3 bilhões) desde que a Organização Mundial de Saúde decretou a pandemia de Covid-19, já que muitas pessoas em quarentena recorreram ao benefício de fazer suas compras online, o que tornou a Amazon um dos melhores negócios do momento para se investir.

No caso de Arnault, com mais pessoas em casa e menos gente nas ruas e nos shoppings gastando, as lojas das marcas dele registraram quedas de vendas sem precedentes, como também aconteceu com outros gigantes da moda ao exemplo do grupo francês Kering. De qualquer forma, o bilionário fez sua parte em meados de março e mandou suspender em suas fábricas a produção de cosméticos e perfumes, justo os produtos do LVMH que têm as maiores margens de lucros, para fazer álcool gel, que em seguida foi distribuído a hospitais franceses. (Por Anderson Antunes)