20.05.2016  /  16:16

Fim do MinC gera conflito entre José Padilha, Kleber Mendonça e Fernando Meirelles

José Padilha, Kléber Mendonça Filho e José Padilha  ||  Créditos: GloboNews/Divulgação / Reprodução Youtube / TV Globo/Zé Paulo Cardeal
José Padilha, Kléber Mendonça Filho e José Padilha || Créditos: GloboNews/Divulgação / Reprodução Youtube / TV Globo/Zé Paulo Cardeal

A repercussão do protesto feito pelos atores e equipe de produção do longa brasileiro “Aquarius” no Festival de Cinema de Cannes, nessa terça-feira, durante a première do filme, gerou declarações públicas divergentes entre os cineastas José Padilha e Kleber  Mendonça Filho. Para piorar, Fernando Meirelles, ex-petista de carteirinha, disse em entrevistas que o fato da educação estar mais ligada à cultura pode ser interessante e há maiores chances disso acontecer se houver uma cabeça pensando em ambas as áreas.

Recapitulando: Kleber participou do protesto junto com os atores e produtos de “Aquaruis”, que na pré-estreia seguravam placas com frases como “Um golpe ocorreu no Brasil” e “Brasil não é mais uma democracia”. De outro lado, José Padilha, que se prepara para dirigir uma série na Netflix inspirada na operação Lava Jato, também declarou em entrevistas que a crise econômica impactou o cinema nacional e que neste momento acha surreal ver o apoio da classe artística e de cineastas ao governo PT. Pano pra manga.

O protesto em Cannes do elenco e produção do filme "Aquarius"  ||  Créditos: Getty Images
O protesto em Cannes do elenco e produção do filme “Aquarius” || Créditos: Getty Images