18.04.2019  /  8:16

Filhos de Michael Jackson mandam investigar os dos dois homens que acusaram o cantor de abuso sexual

Wade Robson, Dan Reed e James Safechuck || Créditos: Divulgação/HBO

Wade Robson e James Safechuck, os dois homens que vieram a público recentemente para acusar Michael Jackson de tê-los abusado sexualmente quando eram crianças, estão na mira dos herdeiros do cantor. Ou, melhor dizendo, dos advogados deles, já que a versão dos fatos sobre os supostos crimes sexuais praticados pelo rei do pop e relatados pela dupla no bombástico documentário “Leaving Neverland”, que foi lançado no fim de janeiro nos Estados Unidos, é considerada “fora da realidade” por Paris, Prince e Prince Michael Jackson II.

Em razão disso, os três estão dispostos a processar Robson e Safechuck e ordenaram que seus representantes legais os investiguem ao máximo para encontrar brechas legais a fim de enquadrá-los em uma eventual e cada vez mais provável ação por fraude, calúnia e difamação. Paris e companhia estão particularmente irritados por terem sido citados em vários momentos do doc, o que também consideram como uma invasão de privacidade, já que não são e nem nunca foram acusados de qualquer mal feito.

Segundo o “New York Post”, a bela e seus irmãos não querem nenhum tipo de compensação financeira, mas sim de um pedido de desculpas oficial pelo estresse emocional que afirmam terem sofrido. Ainda assim, caso recebam uma indenização, eles pretendem doar a grana para a caridade. No momento, o que não está claro ainda é se Robson e Safechuck foram pagos para aparecer em “Leaving Neverland” – ambos já disseram que não receberam nada para estrelar o programa – apesar de que há indícios que apontam o contrário.

Responsável pela produção e exibição do documentário de Dan Reed, a “HBO” já é alvo de um processo aberto pelos administradores do espólio de Jackson por supostamente ter quebrado um pacto de não agressão que firmou com o intérprete de “Thriller” em 1992, e com o qual se comprometeu a jamais levar ao ar qualquer conteúdo que poderia ser considerado como prejudicial a ele. Nesse caso, no entanto, as somas em jogo são altíssimas: o time que cuida dos interesses financeiros do eterno astro musical pede na justiça US$ 100 milhões (R$ 393,4 milhões). (Por Anderson Antunes)