04.03.2019  /  14:04

Filhos de Gandhy desfilam sob polêmica da roupa que comemora os 70 anos do bloco: “Não tem motivo para quebrar a tradição”

Rodrigo Freitas e Carlos Felipe: protesto no Filhos de Gandhy || Créditos: Glamurama

Os 70 anos do bloco Filhos de Gandhy virou uma grande polêmica por conta da roupa criada especialmente para o Carnaval 2019 por Alberto Pitta, que inclui a cor amarela em meio ao tradicional branco e azul que sempre dominaram as vestimentas e ainda uma mudança no modelo do sapato usado pelos participantes.

Nesse domingo, Glamurama acompanhou a saída dos Filhos de Gandhy, no Pelourinho, e percebeu que o descontentamento era alto e que alguns protestos ainda foram realizados durante o percurso. Carlos Felipe, que há 10 anos participa do bloco, comentou: ” O azul e branco é tradição, não tem porque mudar. São muitos anos assim, independente de aniversário, isso não pode ser perdido”, disse.

Já Rodrigo Freitas, que também é associado contou que até comprou a roupa deste ano, mas não a usou: ” Vim com a roupa de 2014 como forma de protesto, também não concordo com essa situação”, afirmou.

Alberto Pitta se justificou em suas redes sociais em post em que mostra Gilberto Gil falando da roupa e  a legenda: “Recebi o convite para fazer a roupa dos 70 anos Filhos de Gandhy e estou muito feliz com o resultado. A ocasião pede uma vestimenta especial e assim eu fiz!”

Nesta segunda-feira tem desfile na Barra Ondina dos Filhos e Filhas de Gandhy e, na terça-feira, eles voltam ao Pelourinho. Tudo indica que os protestos vão continuar.

Confira os Filhos de Gandhy nesse domingo em Salvador: