25.08.2020  /  12:26

Filha de Fernanda Young homenageia a mãe, que morreu há um ano, em suas redes sociais: “Não tenho nada mais poético que a dor para expressar aqui”

Há exatamente um ano o Brasil perdia Fernanda Young, que morreu precocemente, aos 49 anos, após sofrer uma crise de asma e ter uma parada cardíaca no sítio da família em Gonçalves, Minas Gerais. A filha Cecília Madonna Young, de 20 anos, usou suas redes sociais para falar sobre seus sentimentos e homenagear a mãe: “A morte é um conceito estranho. Pouca gente consegue entender o que realmente significa. Eu gostaria de dizer que eu sou uma delas. A verdade é que, mesmo observando ela mais de perto do que gostaria, a morte ainda é algo assustador.”

Ela continuou, lembrando de uma conversa que teve com a atriz Maria Ribeiro sobre o luto: “Tive um ano para me acostumar e ver ela como algo além de terrível, isso ainda não aconteceu. Não imagino que irá acontecer tão cedo. Hoje a @mariaaribeiro me falou uma coisa importante: a gente não pode fugir da dor. Acho que a maior parte do tempo eu fico tentando criar uma ideia mais atraente do acontecido, fazer uma piada ou desviar o assunto. Amanhã faz um ano do falecimento da minha mãe e não tenho nada mais poético do que a dor para expressar aqui. Fico imaginando que as pessoas esperem que eu fale alguma coisa motivadora, mas dessa vez eu não consigo colocar nada no papel. Só sei que ainda sinto minha mãe perto de mim. Talvez uma boa consolidação disso é que sempre terei os sapatinhos absurdamente pequenos dela para me lembrar da sua mente absurdamente grande”.

A propósito, a atriz Maria Ribeiro fará uma live em seu Instagram (@mariaaribeiro), nesta terça, as 19h, para contar ao público com está sendo o processo de ensaios da peça ‘Pós F’, dirigida por Mika Lins e inspirada no livro da escritora, com a participação de Monica Iozzi, que protagonizou a série ‘Vade Retro’, escrita por Young e Alexandre Machado, e exibida pela Globo em 2017.

Primeira obra de não-ficção de Fernanda Young, ‘Pós-F, Para Além do Masculino e Do Feminino’ venceu o Prêmio Jabuti 2019. A peça estreia em 12 de setembro, no Teatro Porto Seguro, em São Paulo, com transmissão via streaming direto do palco, em temporada até 4 de outubro, com sessões aos sábados e domingos, às 20h.

View this post on Instagram

A morte é um conceito estranho. Muita pouca gente consegue entender o que realmente significa. Eu gostaria de dizer que eu sou uma delas. A verdade é que, mesmo observando ela de mais perto do que eu gostaria, a morte ainda é algo assustador. Tive um ano para me acostumar e ver ela como algo além de terrível, isso ainda não aconteceu. Não imagino que irá acontecer tão cedo. Hoje a @mariaaribeiro me falou uma coisa importante: a gente não pode fugir da dor. Acho que a maior parte do tempo eu fico tentando criar uma ideia mais atraente do acontecido, fazer uma piada ou desviar o assunto. Amanhã faz um ano do falecimento da minha mãe e eu não tenho nada mais poético do que a dor para expressar aqui. Fico imaginando que as pessoas esperem que eu fale alguma coisa motivadora, mas dessa vez eu não consigo colocar nada no papel. Só sei que ainda sinto minha mãe perto de mim. Talvez uma boa consolidação disso é que sempre terei os sapatinhos absurdamente pequenos dela para me lembrar da sua mente absurdamente grande.

A post shared by Cecilia Young (@ceciliaayoung) on