08.12.2017  /  11:37

Fernanda Nobre volta à Globo em “Deus Salve o Rei” e fará parte de triângulo amoroso na trama

Fernanda Nobre || Créditos:  Ricardo Penna

Há tempos uma novela não criava tanta empolgação pré-estreia como “Deus Salve o Rei”, próxima novela das sete da Rede Globo, que vai substituir, em janeiro, “Pega Pega”. É compreensível, já que a trama se passa na era medieval e envolve uma caracterização muito especial. Isso sem falar no elenco. Uma das entusiastas é a atriz Fernanda Nobre, que após uma participação em “A Lei do Amor” está de volta à emissora. Na trama, Fernanda interpreta Diana, uma mulher que se tornou amarga por circunstâncias da vida e, em busca de um grande amor, se envolve em inúmeras roubadas com seus pretendentes. Ela será amiga da “mocinha” Amália (Marina Ruy Barbosa) e, no desenrolar da história, vai se envolver com Virgílio (Ricardo Pereira), namorado de Amália. Antes de ser chamada para “Deus Salve o Rei”, a atriz estava envolvida com teatro, com a peça “O Corpo da Mulher como Campo de Batalha”, pelo qual foi indicada ao prêmio Shell de melhor atriz em 2016, e interpretou a personagem Sandra no filme “João, O Maestro”. Abaixo, um papo com Fernanda sobre a personagem, que vai dar o que falar.

Glamurama: O que podemos esperar de Diana, sua personagem?
Fernanda Nobre: “Diana é uma personagem muito intrigante, há um mistério nela que para mim é fascinante. Ela é solitária, já sofreu muito na vida e por isso é desconfiada, tem grande dificuldade de se entregar tanto para o amor como para amizades. Tem um dedo meio podre para os rapazes e quer encontrar um grande amor, mas se coloca em algumas roubadas. É uma mulher muito forte, batalhadora, guerreira e ambiciosa.”

Glamurama: Qual é a maior dificuldade em fazê-la? E a melhor parte?
Fernanda Nobre: “Estou me sentindo a pessoa mais sortuda do mundo! Não tem dificuldade, é só prazer! Este projeto é muito especial, estamos todos apaixonados! Quando estou no set, caracterizada de Diana, com meus parceiros de cena, naquele cenário incrível, olho em volta e cada vez mais reafirmo o quanto amo minha profissão. E a chance de ser uma plebeia medieval é incrível!”

Diana (Fernanda Nobre) || Creditos: Divulgação/TVGlobo

Glamurama: Você gosta de fazer novelas de época? 
Fernanda Nobre: “A minha primeira novela de época foi ‘Escrava Isaura’, em 2004. Também fiz ‘Cidadão Brasileiro’, de Lauro Cesar Muniz, na qual interpretei uma hippie em 1968, no auge da Ditadura. Essa novela tem um amor a mais que é o período medieval pelo qual sempre tive muito fascínio. Estou amando, é sempre muito legal a gente poder viajar no tempo, usar figurinos diferentes. Mas o mais interessante em novelas como essa é que elas nos permitem imaginar e idealizar outras histórias.”

Glamurama: Como é o clima de bastidores das gravações?
Fernanda Nobre: “O melhor possível. Estão todos muito animados e engajados no projeto, e isso faz toda diferença e se reflete no clima de gravações. Essa novela é um desafio para todo mundo que está envolvido nela e o mais legal é que todos estão muito apaixonados por ela. Todos os setores, tanto técnico quanto artístico. É uma alegria coletiva absurda.”

Glamurama: Como é contracenar com Ricardo Pereira?
Fernanda Nobre: “É ótimo. Não só com o Ricardo, mas todo o elenco. Estamos todos focados em fazer o nosso melhor e nos divertirmos no processo.”

Glamurama: E com Marina Ruy Barbosa? Vocês já se conheciam?
Fernanda Nobre: “Nunca tinha contracenado com a Marina e estou adorando conhece-la melhor, poder atuar ao lado dela. Ela é um grande presente nesta novela.”

Amália (Marina Ruy Barbosa) e Diana (Fernanda Nobre) em “Deus Salve o Rei” || Créditos: Divulgação/TVGlobo

Glamurama: Para interpretar Diana você fez aplique ou usa peruca? Quanto tempo em média você leva para ficar pronta para as cenas?
Fernanda Nobre: “Demora uma hora e meia para eu ficar pronta, porque colocamos o aplique diariamente e frisamos o meu cabelo. Acho a concepção estética da personagem um acerto, o cabelo longo e frisado remete a um lado selvagem da personagem.”

Glamurama: Como você se preparou para o papel?
Fernanda Nobre: “Tivemos um mês intenso de preparação. Eram 9 horas diariamente com o Eduardo Milevicz para trazer uma intimidade para o elenco, virarmos um time, com uma mesma linguagem de atuação. Ali pesquisamos referências e fizemos a composição dos personagens juntos. Foi um processo fundamental!”

Glamurama: Você se identifica em algum ponto com sua personagem?
Fernanda Nobre: “Não sei se me pareço com a personagem, mas me identifico com o lado batalhador dela. Eu comecei a trabalhar com oito anos numa novela das seis aqui na Rede Globo (‘Despedida de Solteiro’) e desde então não parei mais. Já me reinventei algumas vezes até me encontrar, tanto profissionalmente como na minha vida pessoal. Acho que essa seria a maior semelhança entre a gente: buscar sempre a nossa identidade.”

Bibi (Fernanda Nobre) e Léo (Patrick de Oliveira) na novela das seis da Globo “Despedida de Solteiro” (1992/1993)|| Créditos: Divulgação/TVGlobo

Glamurama: Além da novela, tem outro projeto à vista?
Fernanda Nobre: “Paralela à minha carreira de atriz, na qual estou totalmente focada neste momento, estou me aventurando também no mercado de moda. Recentemente entrei como sócia da marca “Mini Alice” de moda infantil. Sou uma amante da moda adulta, acompanho as tendências, garimpo os grandes estilistas e sempre pensei na possibilidade de produzir algo neste segmento, mas confesso que nunca tinha pensando no mercado infantil. Porém, quando vi o conceito clean e clássico da Mini Alice, me apaixonei e tem sido assim a cada desenvolvimento de nova coleção.” (Por Julia Moura)