26.02.2015  /  12:24

Fernanda Montenegro, sobre seu papel em Babilônia: “Sem expectativas eróticas”

Fernanda Montenegro e Nathalia Thimberg. No detalhes, o beijo das atrizes na coletiva de Babilônia || Créditos: TV Globo / AgNews
Fernanda Montenegro e Nathalia Timberg. No detalhes, o beijo das atrizes na coletiva de Babilônia || Créditos: Divulgação TV Globo / AgNews

Fernanda Montenegro vai dar vida a Teresa em “Babilônia”,  próxima novela das 9 da Globo, com estreia marcada para o dia 16 de março. Na trama, ela é dona de um escritório de advocacia e vive há trinta anos com Estrela, interpretada por Natalia Thimberg. Durante a coletiva de imprensa do folhetim, nessa quarta-feira, as atrizes inclusive se beijaram. Glamurama aproveitou o encontro para falar com a dama da televisão sobre o novo trabalho.

Glamurama: Você ainda se espanta com o preconceito?

Fernanda Montenegro: Não, porque ainda existe. Está diminuindo, em um movimento mundial de esclarecimento do que é isso. Até pouco tempo atrás era uma doença, e hoje já se definiu que não é doença.

Glamurama: Isso já é um ganho, certo?

Fernanda Montenegro: Agora tem esse momento de entender a naturalidade dessa sexualidade. Nessa novela, não é a história de um jovem que ainda está se descobrindo. É a consolidação de uma casa que tem toda estrutura normal doméstica que se vive em comum. Não tem mais expectativas eróticas. Tudo está assentado como qualquer casamento hétero”.

Glamurama: Então do que vão falar na novela?

Fernanda Montenegro: Tudo tem uma visão, não para doutrinar, mas para vivênciar o cotidiano, o que acontece mesmo, naturalmente. É muito mais o questionamento de ‘como é que eu posso, na medida em que eu amo essa pessoa, ampará-la em uma crise que eu sei que ela está vivendo?’ É muito mais a dramaturgia do ponto de vista do choque de existência da vida, com as crises cotidianas, do que propriamente o ‘vou dar ou não dar essa noite?’.

Glamurama: As personagens vivem o amor na maturidade. E você? Se casaria de novo?

Fernanda Montenegro: Não, imagina. Estive com um homem na minha vida por 60 anos. Nem teria tempo mais na vida. Mas nem penso nisso. Não tem espaço. Foi um encontro de vidas tão avassalador e durante tanto tempo… Imagina, no mesmo trabalho, dia e noite juntos. Não era fácil, pra nenhum casal é. Mas vale a pena. Sempre nos dizíamos: vamos esperar até amanhã? No dia seguinte, valia a pena, então vamos esperar mais um dia. E se passaram 60 e tantos anos. Então, imagina se vai ter alguém mais! Não tem nem lugar.