06.07.2020  /  10:01

Fascinação por relógios e pelo espaço: nos 85 anos do Dalai Lama, 5 curiosidades sobre o líder espiritual do Tibete

Tenzin Gyatso, o 14º e atual Dalai Lama || Créditos: Reprodução

Dono de um dos rostos mais conhecidos do planeta e uma das personalidades mais influentes no cenário internacional, Tenzin Gyatso está ficando mais velho nessa segunda-feira. E pra quem não ligou o nome à pessoa, basta dizer que estamos falando do 14º e atual Dalai Lama, o líder espiritual e chefe de Estado do Tibete, que está completando 85 primaveras.

Apesar da idade avançada, Gyatso nem cogita se aposentar, já que faz parte de uma linhagem sagrada que data de 1391 e que só muda de titular quando seu último representante escolher quem será o próximo no qual reencarnará (nas poucas vezes em que falou sobre isso, o religioso deu a entender que ainda não encontrou seu sucessor).

Mas além dos dogmas de sua religião, há muito sobre Gyatso que chama atenção e que o torna um personagem único, pra dizer o mínimo. E Glamurama aproveita a ocasião de seu aniversário para revelar 5 curiosidades da biografia dele. Continua lendo… (Por Anderson Antunes)

Ele tem hobbies diferentões

Acredite se quiser, mas quando não está meditando ou viajando pelo mundo para pregar a paz, Gyatso curte muito… consertar relógios! Sim, ele tem muito apreço pelo funcionamento de máquinas e, não fosse o chamado que recebeu ainda na infância para o posto que ocupa atualmente, seu sonho teria sido se tornar engenheiro. À parte isso, jardinagem também é a praia dele, e dizem que suas orquídeas são as mais bem cuidadas do mundo.

Ele é um dos maiores inimigos da China

Apesar da carinha de simpático e de seu estilo amistoso, Gyatso também tem inimigos. Um dos maiores é a China, que se recusa a conceder a independência ao Tibete por causa de sua localização estratégica na Ásia e suas riquezas naturais. É por isso que o Dalai Lama não tem a maioria de seus encontros com líderes mundiais registrados em cliques, já que muitos temem criar um conflito diplomático com o governo chinês por recebê-lo abertamente.

Ele é fascinado pelo espaço

Gyatso ama tudo relacionado à exploração espacial, algo que possivelmente não atrai o interesse de outros líderes religiosos. Sua fascinação pelo inexplorado é tão grande que, na ocasião de uma visita aos Estados Unidos em 1979, ele chegou a pedir que uma passadinha básica no centro da NASA Johnson Space Center de Houston fosse incluída no roteiro, e ficou magoadíssimo quando soube que isso não seria possível por questões de segurança.

Ele (ainda) não viu Deus

Ao contrário de seus antecessores, Gyatso fala abertamente que não viu Deus. Estar na presença do Altíssimo é algo que todos os outros Dalais Lamas afirmaram no passado, mas o atual ainda não testemunhou nada nesse sentido, o que costuma tratar com bom humor. “Eu sei, não vi Deus ainda. Mas gosto de pensar que sou o Dalai Lama mais popular da história, então isso não importa”, ele brincou certa vez.

Ele é um típico fanfarrão

Falando de bom humor, Gyatso, que se autointitula um “profissional do riso”, é conhecido como um notório brincalhão, daqueles que conseguem “ganhar” qualquer público fazendo piadas. Em todos os eventos dos quais participa, ele usa essas brincadeiras para quebrar o ar de seriedade que existe em seu entorno. Alias, uma de suas frases mais famosas é “As pessoas têm formalidades demais”. É ou não é?