29.03.2020  /  9:00

Famosa sexóloga americana alerta: consumir pornografia demais na quarentena pode ter efeitos colaterais

A doutora Ruth Westheimer || Créditos: Reprodução

A sexóloga mais famosa dos Estados Unidos enviou um recado nessa semana para os milhões de solteiros americanos que estão em quarentena em casa por causa da pandemia de Covid-19: não se empolguem com o sexo online nessas horas. Ruth Westheimer, mais conhecida como “Doctor Ruth” no país, tem mais de 45 livros sobre sexo publicados no país, a maioria “best sellers”, e durante as décadas de 1980 e 1990 apresentou programas sobre o tema no canal americano “Lifetime” que faziam o maior sucesso.

E na última quinta-feira, em entrevista ao “New York Post”, a profissional de saúde de 91 anos que tem até estrela na Calçada da Fama (a do Bronx, em Nova York, e não a de Hollywood, mas tá valendo) alertou que momentos de estresse combinados com mais tempo nas mãos para, digamos, surfar na “internet adulta”, podem acabar resultando em um interesse maior pela fantasia do que pela realidade para aqueles que sucumbem a isso. E quando as coisas voltarem ao normal pode ser bem custoso se livrar desse efeito colateral da pornografia.

Mas, para não cortar o barato geral do povo que segue em distanciamento social, Westheimer – que certa vez foi descrita por um jornalista como “um cruzamento entre o [ex-secretário de Estados dos EUA] Henry Kissinger e a Minnie Mouse” – também aproveitou o espaço que lhe foi dado pelo “Post” para compartilhar uma dica com os casais que já não conseguem mais conviver juntos: “A hora é boa para tentar apimentar a relação”, ela, que se aposentou do showbiz há anos, sugeriu. Palavra de quem entende das coisas. (Por Anderson Antunes)