23.09.2019  /  10:37

Filho de Jorge Paulo Lemann, homem mais rico do Brasil, cria fundo popular para aplicar em ouro

O novo fundo aceita aplicações a partir de R$ 1 mil || Créditos: Reprodução

Criada no ano passado e com mais de R$ 2,25 bilhões em ativos, a gestora digital Vitreo está lançando um fundo para aplicar em ouro. Tudo pensado sob medida para se destacar na cada vez mais acirrada disputa pelos recursos dos investidores de varejo no Brasil. Com taxa de administração de 0,14% ao ano e aceitando investimentos a partir de R$ 1 mil, o novo fundo focado no metal precioso, que é considerado um dos investimentos mais seguros em tempos de instabilidade, terá exposição cambial e será composto por ETFs, que nada mais são do que fundos negociados na bolsa.

Diante dos riscos de desaceleração da economia global e principalmente por causa da guerra comercial entre os Estados Unidos e a China, o ouro voltou a ser um dos investimentos favoritos, e de janeiro pra cá sua cotação saltou cerca de 16%. Até o empresário americano Patrick Byrne liquidou as ações de sua própria empresa, a varejista online Overstock.com, para comprar ouro e também para investir em criptomoedas no caso de uma crise econômica mundial, que ele acredita estar iminente.

Voltando à Vitreo, a empresa pode ser considerada um sucesso inclusive por causa do time de sócios poderosos que tem, e do qual fazem parte Alexandre Aoude, ex-chefe do Deutsche Bank no Brasil, e Paulo Lemann, filho do bilionário Jorge Paulo Lemann, que recentemente recuperou o título de homem mais rico do Brasil que havia perdido tempos atrás para o banqueiro Joseph Safra, agora o número dois no ranking dos maiores bilionários brasileiros. (Por Anderson Antunes)