28.12.2020  /  11:33

Fábio Assunção revela que a música ajudou a manter equilíbrio em 2020: ‘Isso reforça o tamanho que a música ocupa em minha vida’

A música foi grande aliada em 2020 para muita gente. Há anos, estudos têm demonstrado que a percepção dos sons envolve tanto as áreas do córtex cerebral quanto as do sistema límbico, responsável pelas emoções. Não à toa, muitos passaram este ano tão difícil escutando as suas músicas preferidas e descobrindo novos artistas, seja para se emocionar, ficar nostálgico, dançar ou relaxar.

E com Fábio Assunção não foi diferente. Em um ano especialmente transformador, em que focou no cuidado com o corpo e com a mente, ele falou um pouco sobre a importância da música em sua vida em 2020 e compartilhou sua retrospectiva do Spotify. “Aproveitei 16,8% de 2020 ouvindo música. Mais de dois meses, fora o que escutei em meus discos, rádio, shows e outras fontes. Os resultados são apenas em um streaming, o que reforça o tamanho que a música ocupa em minha vida”, revelou ele.

Nas publicações, o ator revelou que um dos artistas mais escutados no ano por ele foi Caetano Veloso, especialmente a canção ‘Mora na Filosofia’, ficando entre os 0,5% maiores dos ouvintes do artista. Outras músicas muito tocadas foram: ‘As Mãos Sagradas’, de Quatro Cântaros, ‘Carta de Amor’, de Maria Bethânia e ‘Samba em Prelúdio’, de Vinícius de Moraes.

Segundo a plataforma de streaming, Fábio ainda descobriu mil novos artistas em 2020, de 236 estilos diferentes, em nada menos que 88.738 minutos de pura música. Em sua nova fase, mais equilibrado e regrado, ele também tem escutado bastante sons mais zen, e isso pode ser provado pela música mais escutada por Fábio em 2020: ‘Calma e Tranquilidade’, de Marco Schultz e Maha SatyaSangha. Play!