08.11.2017  /  12:58

Exposição de moda do Metropolitan Museum expõem trajes papais nunca vistos fora do Vaticano

Retrato feito por El Greco do cardeal Fernando Niño de Guevara (1541–1609) e casaco criado por Cristóbal Balenciaga para outono/inverno 1954–55 da Balenciaga || Créditos: Divulgação

Que rufem os tambores: o Metropolitan Museum of Art, em Nova York, divulgou nesta quarta-feira o tema de sua próxima exposição. Desta vez, o museu, que abriga as exposições de moda mais concorridas do mundo, vai propor um diálogo entre moda e obras-primas de arte religiosa com a mostra “Heavenly Bodies: Fashion and the Catholic Imagination” (“Corpos celestes: Moda e Imaginação Católica”). Vão responder pela montagem o Anna Wintour Costume Center, a galeria de arte medieval do Met e o museu Cloisters, um ramo do Metropolitan dedicado à arte e arquitetura da Europa na Idade Média.

Os destaques da exposição prometem ser os trajes papais emprestados pela sacristia da Capela Sistina, muitos nunca vistos fora do Vaticano.

A influência da religião na moda será representada por cerca de 150 criações de estilistas como Cristóbal Balenciaga e Donatella Versace, passando por Coco Chanel, que foi educada por freiras, e John Galliano, cujo desfile couture outono/2000 para a Dior foi aberto com look que representou a figura do papa com uma voz entoando a frase: “Understand the concept of love” (“Entenda o conceito do amor”). A mostra vai propor também reflexão a respeito da complexidade da intersecção entre fé e moda, sagrado e profano, assim como mostrar como o cristianismo material ajudou a formar a imaginação católica.

“Heavenly Bodies: Fashion and the Catholic Imagination” ficará em cartaz entre os dias 10 de maio e 8 de outubro de 2018. Acompanha a exposição catálogo com fotos de Katerina Jebb.