17.12.2018  /  10:37

Ex-atriz pornô pode ter que voltar ao batente para pagar R$ 1,15 mi a Donald Trump. Entenda!

O Scores, de NY, quer contratar Stormy Daniels || Créditos: Getty Images/Reprodução

Condenada na semana passada a pagar cerca de US$ 293 mil (R$ 1,15 milhão) em custos advocatícios a Donald Trump, que processou – se sucesso – por difamação pública, Stormy Daniels recebeu uma oferta de emprego do famoso clube de striptease Scores, de Nova York. A ideia dos donos do estabelecimento é que a ex-atriz pornô faça alguns shows exclusivos em troca de um cachê próximo da indenização estipulada pela justiça.

Daniels foi uma das personagens mais citadas no noticiário político dos Estados Unidos nesse ano por causa da revelação de um affair que afirma ter tido com Trump em 2006, e que só não trouxe à tona durante a campanha dele pela Casa Branca dez anos mais tarde porque teria recebido um “cala boca” generoso do advogado Michael Cohen,  que até maio representava o republicano.

Cohen, que acaba de ser condenado a três anos de prisão e ao pagamento de uma multa de US$ 50 mil (R$ 195,9 mil) pelo suborno, confirmou o pagamento, mas garante que só topou fazê-lo porque seguiu uma ordem expressa do antigo patrão, que por sua vez classificou todo o caso como uma “tremenda mentira orquestrada por gente de segunda categoria”, razão pela qual Daniels decidiu buscar explicações na justiça.

A estrela do mundo do entretenimento adulto não teve sucesso na ação e, desempregada, cogita aceitar a oferta do Scores. Pra quem está por fora, o inferninho faz parte da cultura pop americana, tendo sido inclusive citado em vários filmes e programas de TV, e conta com uma clientela de celebridades que inclui o comediante Tracey  Morgan, o ex-primeiro-ministro da Austrália Kevin Rudd e o radialista Howard Stern. (Por Anderson Antunes)