08.11.2019  /  11:56

“Espero que meu filho entenda que as pessoas são diferentes, mas têm direitos iguais”, diz Isis Valverde. À entrevista!

Isis Valverde e o filho Rael || Créditos: Reprodução

Isis Valverde está de volta ao trabalho. Ela será Betina, na novela “Amor de Mãe”, que estreia em 25 de novembro. “Estou muito feliz. É uma novela sobre a vida. A Betina é forte, é uma personagem que dentro da fragilidade dela tem amadurecimento emocional. Ela, como nós, não tem um dia para deitar na cama e chorar. Ela é intensa, dou tudo”, diz sobre a enfermeira no hospital onde Leila (Arieta Corrêa) está internada e Brenda (Clara Galinari) faz tratamento. Por conta de seu trabalho, conhece Magno (Juliano Cazarré), marido de Leila e pai de Brenda, com quem vai acabar tendo um envolvimento.

Empolgada com o novo trabalho, a atriz que também está na reprise de “Avenida Brasil”, como muitos atores do elenco da trama de Manuela Dias, diz que Betina vai abrir diálogo sobre a violência contra a mulher, uma das tramas da personagem, que tem um ex-marido que a agride. “Ela sofre um relacionamento abusivo e vou poder levar para o público esse tema. Mostra o medo, ela não querendo abrir a situação com outras pessoas. Isso é importante porque o silêncio mata. Essas mulheres são chamadas de sobreviventes. Ela corre risco de vida. É importante falar sobre isso, porque a novela chega a todos os cantos”.

Mãe de Rael, de quase um ano, fruto de seu casamento com André Resende, a atriz percebe as modificações que a maternidade impôs até ao seu trabalho. “Na história, eu sou filha, não sou mãe. Mas como mãe hoje, interpretar uma filha, é muito mais intenso”, confessa. “Quando me tornei mãe, passei a ter um amor mais intenso pela minha, triplicou. Ela sempre me disse que seria assim quando fosse comigo, iria entender o que ela sentia”.

E aproveita para declarar o seu amor: “Não estaria aqui se não fosse pela minha mãe. Ela sempre incentivou meu sonho. Quando todo mundo dizia que ela era louca, porque sai de uma cidade mínima e queria ser atriz, ela nunca deixou meu sonho morrer. Minha mãe batalhou comigo”.

Contando com a parceira do marido na criação do seu pequeno, Isis fala da importância de conciliar a maternidade e a profissão. “Todo dia é difícil sair para trabalhar e deixar meu filho. Mas ele está bem, está lá com pai. Hoje sai da gravação, cheguei em casa, mal olhei para ele e tive que sair de novo para vir para cá. Mas acho que faz parte. Se abdicamos da vida profissional, eu pelo menos, acabaria infeliz. Então acho que devemos tentar conciliar, mesmo que doa um pouco no início”, reflete. “Vou dar o melhor de mim educando meu filho. E espero que ele entenda que as pessoas são diferentes, mas têm direitos iguais. E difícil criar um ser humano, mas crio com meu marido, que é meu companheiro, já que não tenho família no Rio”. (por Brunna Contini)