21.05.2018  /  12:08

Escândalos em Hollywood esvaziaram gala da amfAR em Cannes. Aos motivos!

Pierce Brosnan com seu retrato de Bob Dylan || Créditos: Getty Images

Apesar de ter sido o primeiro evento da amfAR realizado em Cannes sob a sombra dos escândalos sexuais envolvendo Harvey Weinstein, maestro de edições anteriores que, aliás, foi quase preso por lá no ano passado, o gala da Fundação para a Pesquisa da AIDS deste ano não chegou a ser um fiasco. Ao menos em termos financeiros, já que um retrato de Bob Dylan pintado por Pierce Brosnan foi leiloado durante o regabofe que rolou na última quinta-feira em Cap D’Antibes por US$ 1,4 milhão (R$ 5,2 milhões), enquanto um “fashion show privée” coordenado por Carine Roitfeld e com a presença das tops Alessandra Ambrosio, Karolina Kurkova, Sara Sampaio e Winnie Harlow recebeu um lance vencedor de US$ 1,7 milhão (R$ 6,3 milhões).

Ainda assim, a ausência de astros e estrelas do primeiro escalão de Hollywood foi o que mais chamou atenção – Sharon Stone e Pharrell Williams, que sempre dão pinta em Cannes nesta época do ano, estão entre os vários que desistiram de ir na última hora. Outro que achou melhor ficar em casa esse ano foi Leonardo DiCaprio, anfitrião da edição de 2017 do baile e leilão beneficente. Quem se deu bem com tantas baixas foi Paris Hilton, que acabou dominando os flashes e teve seu momento de revival dos anos em que dominava o noticiário nos quatro cantos do mundo.

Em tempo: há anos que a arrecadação total da amfAR na capital francesa do cinema vem caindo. Foram US$ 35 milhões (R$ 129,8 milhões) em 2014, o recorde até hoje, e em média menos US$ 5 milhões (R$ 18,5 milhões) por ano de lá pra cá. O total desse ano ainda não foi calculado, mas é quase certo que manterá o ritmo de queda dos últimos anos. (Por Anderson Antunes)

Paris Hilton atraindo flashes no gala: só deu ela || Créditos: Getty Images