24.05.2020  /  8:55

Entenda por que a fortuna dos donos da Chanel cresceu mais de R$ 60 bi durante a pandemia

Alain e Gerard Wertheimer || Créditos: Reprodução

Além de não terem sido afetados financeiramente até agora pela crise do novo coronavírus, os irmãos franceses Alain e Gerard Wertheimer – os donos da Chanel – estão entre os poucos bilionários do planeta que inclusive enriqueceram nos últimos dois meses e desde quando a pandemia de Covid-19 foi decretada pela Organização Mundial de Saúde, o que afetou e continua afetando muitos negócios.

Em março, cada um dos dois tinha um patrimônio pessoal estimado em US$ 17,1 bilhões (R$ 95,8 bilhões) – cifra que agora está em US$ 22,5 bilhões (R$ 126,1 bilhões), o que significada que ambos ficaram US$ 5,4 bilhões (R$ 30,3 bilhões) mais ricos individualmente de lá pra cá.

Um dos motivos por trás de tamanha bonança em tempos tão bicudos tem a ver com o fato de que a Chanel tem alguns dos clientes mais fiéis em toda a indústria de luxo, sem falar que os canais de vendas online diretas da maison também funcionam muito bem, obrigado, e continuaram a todo vapor mesmo com muitas de suas lojas fechadas mundo afora. (Por Anderson Antunes)