Transferência pelo PIX || Créditos: Pixabay

Entenda o que é e quais as vantagens do PIX, o novo sistema de pagamentos do Banco Central

16.09.2020  /  16:03

Transferência pelo PIX || Créditos: Pixabay

Muito tem se falado sobre a nova modalidade de serviço financeiro instituída pelo Banco Central do Brasil, o PIX. Ele passará a funcionar em novembro de 2020 e vai permitir que pessoas físicas, jurídicas e órgãos públicos façam pagamentos por meio de operações financeiras eletrônicas instantâneas. Isso fará com que os recebedores possam ter o valor em suas contas em tempo real durante todos os dias do ano (inclusive feriados e fins de semana) com a segurança do Sistema Financeiro Nacional.

Em teoria, é mais fácil, rápido e prático de transferir valores do que os modelos de pagamento tradicionais (DOC e TED). As transações serão feitas sem nenhum contato físico e com autenticação no próprio celular do pagador. Os custos para o uso do PIX também serão menores: R$ 0,01 a cada 10 transações para instituições financeiras e de pagamento e totalmente grátis para pessoas físicas e jurídicas.

Bancos e fintechs com mais de 500 mil contas serão obrigados a introduzir o PIX em seus sistemas de pagamentos e transferências, conforme resolução do BC. Outras instituições também poderão oferecer o serviço, para isso precisam demonstrar interesse perante o Banco Central e iniciar o processo de homologação. O BC também anunciou que está desenvolvendo a opção de saques nos estabelecimentos comerciais por meio do novo sistema de pagamento. (Giorgia Cavicchioli)