16.01.2018  /  12:11

Engajada, exposição na Bélgica mostra roupas usadas por mulheres que sofreram abusos sexuais

Vista geral da exposição “A culpa é minha?” que está em cartaz em Bruxelas, na Bélgica || Créditos: Divulgação

A Bélgica acaba de anunciar a abertura de uma exposição, no mínimo, chocante: um museu de Bruxelas está exibindo trajes que mulheres e meninas usavam no dia em que sofreram a violência sexual. Peças como calças e blusas discretas, pijamas e até camisetas largas estão à mostra para derrubar de vez a “desculpa” de que roupas provocativas induzem homens a cometerem crimes sexuais, deixando bem claro que a culpa NÃO é da mulher…

Batizada “A culpa é minha?” em referência à pergunta que muitas vítimas se fazem depois de um ataque, a exposição no CCM – Centre Communautaire Maritime fica em cartaz até o dia 20 desde mês e reúne 18 conjuntos doados à ONG CAW East Brabant, de apoio às vítimas de violência sexual. Ao lado de cada roupa está um papel, com uma pequena resposta à pergunta: “O que você estava vestindo?”.

Mais dois ambientes da exposição “A culpa é minha?” que fica em cartaz no Centre Communautaire Maritime até o dia 20 deste mês || Créditos: Divulgação

Segundo Liesbeth Kennis, da CAW East Brabant, o objetivo é desconstruir o mito de que o estupro pode ser justificado em certas circunstâncias, como quando a vítima está vestindo roupas sensuais ou sob efeito de álcool ou drogas. E a questão não se restringe à Bélgica. No Brasil, por exemplo, um relatório publicado em dezembro de 2016 pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública revela que 30% dos brasileiros concordam que “a mulher que usa roupas provocativas não pode reclamar se for estuprada”, e 37% acreditam que “mulheres que se dão ao respeito não são estupradas”. Afe!