08.06.2020  /  9:26

Em vídeo gravado para formandos, Beyoncé fala sobre George Floyd e denuncia ‘machismo’ na música

Beyoncé Knowles || Créditos: Reprodução

Uma das maiores estrelas da atualidade, Beyoncé Knowles soltou o verbo contra a indústria musical em uma mensagem gravada que enviou nesse domingo pelo YouTube para formandos do ensino médio nos Estados Unidos e em outros países do hemisfério norte, onde atualmente acontece a temporada de graduações. Divulgado no canal oficial do site, o vídeo intitulado “Dear Class of 2020” (“Querida Classe de 2020”) tem pouco mais de dez minutos e até agora já teve mais de 386 mil visualizações. Nele, a intérprete de “Single Ladies” parabeniza a todos que conseguiram concluir seus estudos em meio à pandemia e, claro, também abordou o assunto do momento, que são os protestos pelo movimento Black Lives Matter.

“Vocês chegaram até aqui durante uma crise global, no meio de uma pandemia racial que gerou expressões mundiais de indignação pelo assassinato sem sentido de mais um ser humano negro desarmado”, Knowles, de 38 anos, disse referindo-se ao americano George Floyd, morto semanas atrás por um policial branco. “E, apesar de tudo isso, vocês conseguiram. Estamos todos muito orgulhos de vocês”, completou a mulher de Jay-Z.

E enquanto incentivou a todos que usem sua “voz coletiva” para gritar que vidas negras importam, e que a mudança necessária no mundo começa a partir de cada um, a popstar também aproveitou a ocasião para denunciar o que classificou como “persistente machismo” no mundo da música. “Como mulher, eu não tive modelos femininos suficientes tendo a oportunidade de fazer o que sabia que tinha fazer”, Knowles contou. “Precisei me tornar ‘dona’ de minha própria carreira: dona da minha gravadora, das minhas turnês, das minhas fitas masters mas também dona do meu coração, do meu futuro e da minha própria história [para chegar onde cheguei]”, ela continuou.

Por fim, Knowles concluiu a mensagem fazendo um afago em outras minorias que ainda se sentem marginalizadas e que continuam sofrendo preconceitos. “Sua homossexualidade é linda, sua negritude é linda, sua compaixão e seu entendimento são lindos”, elogiou a dona de alguns dos maiores hits das últimas décadas, que terminou dizendo que a luta de alguém por outra pessoa que pode ser diferente em algum aspecto é linda também. (Por Anderson Antunes)

*

Abaixo, o vídeo gravado por Knowles na íntegra [ÁUDIO EM INGLÊS]: