12.07.2017  /  15:47

Zuckerberg quer fazer amigos nos EUA, mas com certas condições…

Mark Zuckerberg || Créditos: Getty Images

Em turnê pelos Estados Unidos desde o início do ano, quando traçou como meta para 2017 conhecer todos os estados americanos e interagir com o maior número possível de pessoas, Mark Zuckerberg costuma fazer paradas estratégicas para conhecer membros influentes das comunidades que visita. Sempre rodeado por pelo menos 16 seguranças, o jovem bilionário geralmente aparece de surpresa, e ai daquele que tirar fotos ou reproduzir o que ele diz nestas ocasiões nas redes sociais sem a devida autorização.

Que o diga Chris Ball, prefeito de Wilton, no estado americano de Iowa, que esteve recentemente com o co-fundador do Facebook e foi previamente instruído pelos assessores dele sobre como deveria se comportar. “Me avisaram que eu não poderia falar com a imprensa sobre nosso encontro e que se fosse procurado por repórteres eu deveria entrar em contato com a assessoria do Facebook”, Ball contou ao “The Wall Street Journal” nesta quarta-feira.

O mesmo aconteceu com os funcionários da Wilton Candy Kitchen, uma loja de doces bastante popular da cidade, que foram informados com apenas cinco minutos de antecedência sobre a chegada do quinto homem mais rico do mundo no local, onde ele comprou uma barra de chocolate – paga com cartão de débito por uma assessora – e conversou por alguns minutos com a turma sobre seus planos para o futuro.

A propósito, segundo o Journal, a loja é famosa por ser parada obrigatória para os candidatos à Casa Branca em época de campanha, e tanto Donald Trump quanto Hillary Clinton estiveram lá no ano passado. Zuckerberg, frequentemente apontado como um nome forte para a próxima corrida presidencial americana, não diz uma palavra sequer sobre esses rumores. (Por Anderson Antunes)