03.10.2018  /  12:10

Em seu último dia como CEO da PepsiCo, Indra Nooyi aproveita para “cutucar” a Coca-Cola

Indra Nooyi || Créditos: Getty Images

Indra Nooyi, que nesta quarta-feira se despede do cargo de CEO da PepsiCo que ocupa desde 2006, aproveitou uma conference call com investidores da qual participou agora há pouco para dar uma “cutucada” na The Coca-Cola Company. Ao ser questionada sobre a possibilidade da empresa para qual trabalha comprar a Starbucks, conforme andou se falando em Wall Street recentemente, a todo-poderosa caprichou no sorriso maroto antes de responder. “Eu lhe prometo que a única coisa que não faremos é justamente entrar no setor de restaurantes”, disse Nooyi, que vai assumir a presidência do conselho da PepsiCo já nesta quarta e só até o começo do ano que vem.

Pra quem está por fora, é importante frisar que em abril a Coca-Cola fez isso quando comprou a britânica Costa Coffee por US$ 5,1 bilhões (R$ 19,6 bilhões), algo que não foi muito bem recebido simplesmente porque um dos maiores clientes da gigante dos refrigerantes no Reino Unido é o McDonald’s, principal concorrente da rede de cafeterias por lá. Os possíveis e, para muitos, prováveis conflitos de interesse que o negócio pode gerar já causam dores de cabeça para a Coca, o que explica o tom irônico por trás do comentário de Nooyi.

Nascida na Índia, Nooyi, de 62 anos, se mudou para os Estados Unidos no fim dos anos 1970 e assumiu o comando da PepsiCo quando a empresa vivia um de seus piores momentos. Logo ela colocou em prática uma fórmula que se provou bastante eficaz: focar em produtos mais saudáveis, quando estes ainda não estavam tão em alta como hoje, o que resultou em aumentos significativos de faturamento e lucro.  Graças a esse feeling e ao sucesso que conquistou, a super-executiva se tornou figurinha constante nas listas das mulheres mais poderosas do mundo dos negócios, ocupando a primeira posição em várias delas. (Por Anderson Antunes)