Justin Caldbeck e Jonathan Teo, da Binary

Justin Caldbeck e Jonathan Teo, da Binary || Créditos: Reprodução

Em questão de dias, executivo promessa do Vale do Silício foi do céu ao inferno

27.06.2017  /  15:40

Justin Caldbeck e Jonathan Teo, da Binary || Créditos: Reprodução

Cofundador da empresa de investimentos Binary Capital, com sede em San Francisco e foco em start-ups do segmento de tecnologia, Justin Caldbeck viu sua carreira ir do céu ao inferno em questão de dias. Tido como promessa entre seus pares, ele foi acusado em uma longa reportagem publicada pelo site “The Information” na última sexta-feira de assediar sexualmente pelo menos seis empreendedoras que o procuraram em busca de apoio financeiro para seus negócios.

Em menos de 48 horas depois da revelação, e por conta da reação negativa que o caso teve, Justin se viu obrigado a renunciar ao cargo de CEO da empresa, e agora já existem indícios de que o sócio e parceiro dele no comando da Binary, Jonathan Teo, sabia dos supostos assédios e nada fez a respeito, o que torna toda a situação ainda mais problemática.

Com mais de US$ 300 milhões (R$ 1 bilhão) em ativos sob gestão, a Binary foi fundada em 2014 e já recebeu elogios de Tim Cook, CEO da Apple, e Indra Nooyi, a toda-poderosa presidente da PepsiCo, e estava em plena fase de negociação de um novo fundo, de US$ 175 milhões (R$ 583,1 milhões), que agora corre o risco de subir no telhado por conta do escândalo. (Por Anderson Antunes)