08.08.2018  /  15:04

Em homenagem a Luiz Melodia no Prêmio da Música “só vai faltar a Gal Costa”, sua “madrinha musical”

Luiz Melodia || Créditos: Reprodução

No próximo dia 15 acontece mais uma edição do Prêmio da Música Brasileira, que em 2018 presta homenagem a Luiz Melodia, morto há um ano – aos 66 de idade – depois de uma luta contra o câncer de medula. Os preparativos para a cerimônia, mais uma vez no Theatro Municipal do Rio, estão a todo vapor.

“Só vai faltar a Gal Costa, que tem uma importância vital na história do Melodia. Infelizmente ela não pode cantar e nem estar presente, mesmo sendo indicada”, disse José Maurício Machline, idealizador do prêmio. Gal gravou o hit “Pérola Negra” e era considerada por Melodia sua “madrinha musical”. Todas as outras pessoas que Zé Maurício queria estarão presentes para celebrar a obra do cantor? “Sim”. Entre elas, Alcione, Sandra de Sá e Zezé Motta, além de Pedro Luiz.

As performances com o repertório do artista homenageado são sempre o ponto alto do evento, em todas as edições. “Teremos 30 pessoas negras com mais de 60 anos fazendo uma comemoração em cima do trabalho do Melodia”, adianta Zé Maurício sobre uma das apresentações, sem dar muitos detalhes. “Negro Gato”, um dos maiores sucessos de Melodia, será cantada por Iza, ao lado de Liniker e Lazzo. E “Juventude Transviada” será um dueto entre a veterana Áurea Martins com a baiana Xênia França.

Em 2017, a crise econômica pegou de jeito o projeto de Zé Maurício, mas ele diz que desta vez está mais fácil viabilizar tudo. “Não está cada vez mais difícil, não. Tivemos um ano difícil e 28 de sucessos. O Brasil é lotado de percalços e todos os setores sofrem com isso. Quando se é apaixonado e se acredita em alguma coisa, a desistência não é opção. A edição do ano passado foi uma superação muito grande”. Mas lá na hora foi tudo lindo, e bastante prestigiado pelas personalidades da indústria musical… “Essa lealdade é pela credibilidade que o prêmio constituiu nesses anos todos”.

Muito tem se discutido sobre representatividade negra na cultura nos últimos meses. Claro que temos grandes talentos negros na nossa música, mas essa corrente positiva de valorização de referências negras influenciou na escolha do Luiz Melodia? Zé Maurício nega: “Nesse caso, não. A nossa escolha é sempre pensando na contribuição e importância que aquele determinado artista tem na música brasileira. A combinação de ritmo e harmonia musical é o maior legado dele. Nós tivemos uma relação antiga de vários trabalhos ao longo do tempo. Com aquele timbre e aquela musicalidade incrível, Luiz Melodia faz parte de qualquer ideia que se tenha”. (por Michelle Licory)