20.07.2020  /  18:00

Em entrevista, Mariana Aydar fala sobre feminismo no forró, disco voador e a importância de Dominguinhos

Mariana Aydar / Crédito: Instagram

Nesse ano não conseguimos curtir festas juninas, mas nem por isso a animação ficou de lado. E por falar em forró e rastapé, logo vem à cabeça Mariana Aydar. A cantora, que sempre escutou muito Luís Gonzaga, falou sobre o tema em entrevista para o canal Papo de Música.

“Meus primeiros discos de forró são todos do Luís Gonzaga, até tinha uma música que chamava ‘Mariana’ e eu achava que era pra mim”, lembra ela. As referências no estilo trazem outra figura também muito popular, Elba Ramalho. A cantora paraibana foi fundamental na carreira de Mariana e a incentivou a mergulhar de cabeça no forró.

“Era um show do Hamilton de Holanda com a participação da Elba, em Caraíva. Ela acabou a apresentação dizendo que fazia 20 anos que ela tinha visto um disco voador na cidade”, conta Mari. “A gente começou a ver um negócio andando no céu, não era estrela cadente, não era planeta, avião. Ligamos pra Elba, que já estava em Trancoso, e ela estava com o Tony Garrido. Ficou vendo eu e Duane, de Caraíva, e a Elba e o Tony lá de Trancoso”. Nascia ali a parceria na música ‘Forró do ET’, lançada no ano passado.

A cantora paulista também falou sobre a importância de Dominguinhos, feminismo no gênero e sua paixão pelo Carnaval: “Sinto que a mulher ainda não tem protagonismo no forró. Na verdade, a Elba gravou muitas músicas mostrando todo o seu poder, mas na composição dos homens a mulher sempre ocupa o papel da menina bonita do baile, florida ou a que causa quando chega… e eu sinto que faltam músicas que mostrem o real desejo da mulher”.

A seguir, confira um vídeo exclusivo para o Glamurama com a entrevista completa com Mariana Aydar…  e divirta-se: