17.03.2021  /  9:39

Elton John ataca o Vaticano por causa de decreto anti-gay publicado na segunda: “Isso é hipocrisia”

Elton John com seu marido, David Furnish
Elton John com seu marido, David Furnish || Créditos: Reprodução

Elton John, que nunca foi de comprar qualquer briga, não gostou nem um pouco de saber que a Igreja Católica vai manter sua decisão histórica de continuar não abençoando casamentos gays, conforme consta em um decreto publicado na última segunda-feira no Vaticano. No documento oficial, consta a afirmação de que a união entre duas pessoas do mesmo sexo é um “pecado”, e por isso não pode contar com a benção de Deus, já que isso representaria uma contradição.

“Como o Vaticano pode se recusar a abençoar casamentos gays sob a justificativa de que são ‘pecado’, mas ao mesmo tempo lucra milhões com seu investimento em ‘Rocketman’, um filme que celebra minha alegria em meu casamento com o David [Furnish]? Isso é hipocrisia”, o cantor reclamou em um post que fez no Twitter, referindo-se à sua cinebiografia lançada em 2019 e estrelada por Taron Egerton.

É que a produção de quase US$ 200 milhões (R$ 1,13 bilhão) faturados nas bilheterias internacionais recebeu US$ 4,7 milhões (R$ 26,7 milhões) em investimentos feitos por uma empresa ligada ao Banco do Vaticano, segundo matéria publicada em dezembro de 2019 pelo jornal italiano “Corriere Della Sera”, razão pela qual o intérprete de “Your Song” achou estranho o posicionamento anti-gay avalizado pela liderança mais alta da instituição financeira. (Por Anderson Antunes)