11.11.2020  /  10:34

Editora teria oferecido mais de R$ 500 milhões a Trump por seu primeiro livro de memórias como ex-presidente

Donald Trump
Donald Trump || Créditos: Reprodução

Com salário de US$ 400 mil anuais para presidir os Estados Unidos, Donald Trump poderá embolsar nada menos que 250 vezes esse valor caso finalmente aceita sua derrota na última eleição presidencial que rolou no país e, com o tempo livre que terá a partir daí, coloque suas memórias da Casa Branca no papel. É que várias editoras de lá ofereceram nos últimos dias ao republicano cifras que giram em torno de US$ 100 milhões (R$ 542,8 milhões) para que ele escreva seu primeiro livro pós-presidência, lembrando que são dele vários outros publicados ao longo dos anos (apesar de que sempre com a ajuda de “ghost writers”).

Para efeito de comparação, Michelle e Barack Obama receberam juntos US$ 65 milhões (R$ 352,8 milhões) da gigante Penguin Random House pelos direitos dos livros que toparam escrever quando o último mandado do ex-presidente dos EUA se encerrou, em janeiro 20017, e que no caso daquele assinado pela ex-primeira-dama americana acabou se tornando um campeão de vendas sem precedentes. Por enquanto, a maior interessada no eventual e provável bestseller de Trump é a francesa Hachette Book Group, que tem um selo editorial conservador bastante popular entre os americanos, o Center Street.

Trump também teria recebido ofertas de vários canais de televisão dos EUA para produzir e, claro, estrelar programas voltados para seu público fiel (foram mais de 70 milhões os votos recebidos pelo atual chefe do executivo americano no pleito em que Joe Biden o derrotou). O maior sonho do ex-apresentador de “O Aprendiz”, no entanto, seria ter seu próprio canal, batizado Trump Network, e que seria uma espécie de “Fox News” com conservadorismo elevado ao cubo. Se vai rolar algo nesse sentido ou não, só mesmo o tempo dirá. Mas há quem diga que Trump, quando precisa escolher entre poder e dinheiro, sempre opta pelo último. (Por Anderson Antunes)