É amanhã! Mães de primeira viagem dividem com Glamurama o significado real da maternidade

0 Compartilhamentos
0
0
0
Da esquerda à direita: Renata Vanzetto e Ziggy, Fernanda Suplicy e Thor, Mariana Weickert e Theresa e Kika Simonsen e Ronnie

Em 2017, uma turma das boas de glamurettes embarcou pela primeira vez, com bilhete só de ida, para a viagem intensa e maravilhosa que é ser mãe e agora dividem com o Glamurama, às vésperas de suas estreias no Dia das Mães, o significado da maternidade, o que tira o sono delas e no que desejam que os filhos sejam iguais a elas. Pura emoção!

Mariana Weickert, mãe de Theresa (19.02.18)

“E no dia 19/02/18, uma segunda-feira pós-carnaval, nasceu a nossa Theresa. Muitos dizem que o ano novo começa aí. Pra mim começa um novo olhar, um novo sentimento, uma nova vida. Não que minha vida de antes não fosse feliz, completa. Era diferente, definitivamente, MUITO DIFERENTE! Hoje estou aqui experimentando um novo amor, uma nova direção, uma sensação de que o mundo poderia parar agora. Simplesmente congelar e eu seria a mais feliz de todos os felizes. Meu Deus, quanta coisa passa na cabeça e no coração. Que viagem maluca. Deliciosamente maluca! Enfim, só quero agradecer as infinitas mensagens de amor, carinho, orações, vibrações e todo o axé recebido. Theresa é linda e saudável. E eu continuo com meus medos, inseguranças, um pouco cansada, mas sigo aprendendo e tentando ser o meu melhor a cada minuto que passa desde esta última segunda-feira. A segunda-feira que mudou pra sempre a minha vida!” 

Mariana Weickert com Theresa em seu colo no dia de seu nascimento || Créditos: Reprodução Instagram

No que você gostaria que seu filho fosse igual a você?
“Na voz, opinião e força de vontade pra correr atrás dos sonhos dela e que não se renda às imposições hipócritas do mundo.”

O que te tira o sono?
“Basicamente tudo. Qualquer resmungo da Theresa!(risos). Acordar de madrugada pra ordenhar e não conseguir dormir, tudo o que envolve a maternidade é o que me tira o sono ultimamente. Mas eu to achando que ela é boazinha, que puxou a mãe e é boa de cama, gosta de dormir. Mas o que dizem sobre o sono nunca mais ser o mesmo depois que nos tornamos mãe é mesmo um fato. Ela dá qualquer resmungo e eu já acordo mas, enfim, é um jeito muito bom de tirar o sono.”

Ser mãe é…
“A viagem mais sensacional da vida. Salvo todos os clichês é realmente maluco, intenso e bom demais da conta. Tudo de repente se caixa e faz sentido, não que eu tivesse buscando algum sentido, mas é mágico.”

Renata Vanzatto, mãe de Ziggy (15.04.18)
“Com 4.160kg , 54 cm, 41 semanas, as 16:20hs , nasceu um bezerrinho. Depois de um trabalho de parto muito intenso e muito dolorido. Mas em ótimas mãos (…). Bem vindo ao nosso mundo meu filho!”

Renata Vanzatto e Ziggy, seu primeiro filho || Créditos: Divulgação

No que você gostaria que seu filho fosse igual a você? 
“quero que ela seja honesto também”

O que te tira o sono?
“Neste momento as mamadas da madrugada.”

Ser mãe é…
“A loucura mais linda que poderia viver.”

Kika Sominsen Ticoulat, mãe de Ronnie (07.08.17)
“Welcome Baby Ronnie We love you sooooo much! Dia mais feliz das nossas vidas! 3.310kg – 48cm”

 

No que você gostaria que seu filho fosse igual a você?
“No coração e na essência.” 

O que te tira o sono?
“O medo de perder alguém que eu amo muito para alguma doença.” 

Ser mãe é…
“Ter um pedacinho do céu dentro de casa 24 horas por dia. É viver um tipo de amor mais forte do que todos já vividos. É acordar e ir dormindo pensando primeiro nos filhos do que em nós mesmas. É querer ensinar mas também aprender mais ainda. É relembrar a própria infância, amar incondicionalmente, proteger e cuidar.”

Fernanda Suplicy, mãe de Thor (5.7.17) 

Sou mãe há apenas quatro dias e já sinto tudo o que todos sempre falaram desde o primeiro milésimo de segundo que pari esse pequeno “pacotinho” delicioso que é o meu filho: aquele amor maior do mundo. Me sinto plena, feliz, completa e um tanto poderosa por ter sido capaz de, com a pessoa que amo, fazer um ser tão perfeito e poder amar tanto. Tenho a certeza de que nosso companheirismo aumentará, que nosso estímulo para viver mais e melhor também e que faremos, juntos, de tudo para esse ser – que escolhemos se chamar Thor e nos escolheu como meio de vir ao mundo – a pessoa mais feliz dentro das nossas possibilidades e princípios, afinal bastaram somente 9 meses para ele me dar a alegria mais especial da minha vida até o momento: ele mesmo. *THOR SUPLICY MORISSON nasceu de parto normal dia 5/7/2017 com 2,975 kg / 50,5 cm e conheceu sua casa ontem.”


No que você gostaria que seu filho fosse igual a você?
“Em ver o lado bom das coisas e levar a vida com humor.”

O que te tira o sono?
“No momento? As acordadas dele na madrugada hahaha…”

Ser mãe é…
“Ser mãe é mágico, a gente descobre que pode amar além do imaginável.”

 

0 Compartilhamentos