28.08.2018  /  7:04

Dr. Luke afirma que deixou de ganhar mais de R$ 155 mi por causa de Kesha, que o acusa de estupro

Dr Luke e Kesha || Créditos: Getty Images

Kesha e Dr. Luke voltaram a trocar farpas nos papeis mais recentes da ação em que ela o acusa de tê-la estuprado, e cujo segredo processual acaba de ser levantado. O caso corre nos tribunais dos Estados Unidos há mais de cinco anos, e em razão disso o produtor musical afirmou nos autos que deixou de ganhar US$ 38 milhões (R$ 155,1 milhões) dos clientes que optaram por se afastar dele por causa do imbróglio. Em contrapartida, a estrela de 31 anos se defende dizendo que o próprio Dr. Luke selou seu destino ao adotar um comportamento inadequado no ambiente profissional, que garante ter sido o que de fato lhe rendeu prejuízos milionários – ele continua negando ter cometido qualquer crime sexual.

O suposto estupro teria acontecido em 2008, mas terminou em processo só em 2013, quando Kesha finalmente resolveu buscar justiça. Na época, ela acusou Dr. Luke de agressões físicas, sexuais e emocionais enquanto os dois trabalharam juntos e revelou ter sido dopada e em seguida violentada pelo produtor, que também já prestou serviços para Britney Spears, Nicki Minaj, Rihanna, Miley Cyrus e Shakira. Kesha também teria dito em uma troca de mensagens com Lady Gaga que ele fez o mesmo com Katy Perry, mas esta negou em um depoimento que deu no ano passado que isso seja verdade. “Não, absolutamente não”, afirmou, categórica, a intérprete de “Firework” às autoridades americanas.

A versão sustentada pelos advogados de Dr. Luke é que Kesha não estava feliz com o contrato que havia assinado com ele e decidiu “inventar uma história cabeluda o suficiente” para acabar com sua carreira. Mas ela conta com o apoio de várias colegas poderosas que já foram clientes dele, como Avril Lavigne, Pink e Kelly Clarkson, sendo que esta última também depôs contra o produtor. “Ele não é uma boa pessoa. Já disse isso em sua cara e não trabalho mais com ele”, disse em juízo a cantora, que ainda o chamou de “valentão” e “uma pessoa com complexo de Napoleão”. (Por Anderson Antunes)