16.10.2019  /  16:08

Documentário vai contar a história dos cantores brasileiros que fingiam ser estrangeiros nos anos 1970

Fabio Jr. ou Mark Davis? || Créditos: Divulgação

Você sabia que Fábio Junior já foi secretos Mark Davis? Que Michael Sullivan é o codinome de Ivanilton de Souza e Tony Stevens na verdade é o Jessé? Sim, nos anos 1970, para fazer sucesso no Brasil, muitos dos nossos cantores fingiam ser estrangeiros. E é isso que o documentário ‘História Secreta do Pop Brasileiro’ vai mostrar em seu segundo episódio, escrito e dirigido pelo jornalista André Barcinski, com narração de Arrigo Barnabé,  que vai ao ar nesta sexta-feira, às 22h30, no Music Box Brazil. A ideia é explorar os “Falsos Gringos”, título deste capítulo, e mostrar que naquela época a música nacional foi invadida por astros que cantavam em inglês e vendiam muitos discos, mesmo sem carreira no exterior. Uma das principais revelações é a de Mark Davis, que se tornou figura pública quando a banda Uncle Jungle terminou em 1975, e que tinha Fábio Jr como vocalista. Na figura de ídolo internacional, ele lançou o compacto com 10 canções em inglês e estourou nas paradas. Mas a ideia é se estender para outros sucessos e estrelas que seguiram o mesmo caminho.

O domínio da cultura americana na música nacional justificava a estratégia das gravadoras e artistas: “O Brasil tinha esse consumo musical cada vez maior, mas era um país isolado. Para competirem com as gravadoras internacionais, as pequenas gravadoras nacionais eram obrigadas a criar esse produto, então fabricavam esses fenômenos, os falsos gringos”, explica Eduardo Vicente, professor de mídias sonoras da Escola de Comunicação e Artes da USP.

Michael Sullivan (Ivanilton de Souza), Tony Stevens (Jessé) e Steve Maclean (Hélio Costa Manso) são outros personagens explorados no segundo episódio da série || Créditos: Reprodução