13.12.2015  /  10:48

Direto da Revista J.P, o closet carioquíssimo de Betina De Luca

||Créditos: Anna Fischer/Revista J.P
||Créditos: Anna Fischer/Revista J.P

Batom vermelho, penduricalhos e sapatos statement fazem de Betina De Luca inspiração pura. Com projeto novo que envolve até música, ela fala a J.P sobre o que enche seus olhos na moda

Por Kanucha Barbosa para a Revista J.P de dezembro

“Gosto do que é esquisito e bonito ao mesmo tempo. Aquela peça que você não entende direito, mas se encanta ao primeiro olhar!” A carioca Betina De Luca é assim, dona de um estilo único, tipo agulha no palheiro, e sempre chamou a atenção por suas escolhas certeiras na moda. No Rio de Janeiro, onde mora, a moça circula pelos lugares mais cool sempre com o cabelo natural e maquiagem “acordei e vim”, looks com cores vivas e mix inusitados. Sócia de Marcella Virzi na Virzi + De Luca, diz criar para quem não se leva muito a sério e preza por um DNA fun e sexy. Logo, acessórios fazem toda a diferença em seu closet – seus preferidos são pulseiras e anéis. Camisas sociais e óculos escuros também são obrigatórios.

Aos 30 anos, Betina, formada em jornalismo, conta que na infância tinha como musa a atriz Rita Hayworth, especialmente em Gilda. Hoje vê a sócia Marcella como um ícone e “a mistura perfeita entre moda e arte”. Em 2016, aliás, a parceria vai tomar outro rumo. Depois de quatro anos, elas decidiram iniciar projetos solos e criar coleções eventuais, “apenas para amigas e clientes fiéis”, avisa. A última coleção vem triunfal. Batizada O Sertão Vai Virar Mar, em parceria com Leo Neves e as marcas Haight e Marcela B., trará, além dos acessórios que caíram nas graças das fashionistas, roupas de seda e linho com bordados – pareôs, chemises, quimonos e maiôs –, bolsas e sapatos. “A ideia é comprar a coleção e já sair pronta para o verão”, explica.

Para o novo ano, pretende apostar em uma consultoria de branding não só ligada à moda, mas à música ou outros universos. Ao lado da experiência bacana na Virzi, ela leva consigo um norte que sempre a acompanhou: “Ser elegante está ligado à educação, a saber se comportar da maneira certa para qualquer situação, ser uma pessoa situada, agradável…”. Disse tudo!