19.06.2020  /  11:24

Dezenas de funcionários demitidos de hotel favorito das celebs em LA fazem carreata para protestar o corte em massa

O Chateau Marmont, que fica na Sunset Boulevard || Créditos: Reprodução

Rolou um protesto de ex-funcionários do Chateau Marmont na última quarta-feira, na frente do lendário hotel de Los Angeles, que também é um dos mais luxuoso de lá. A turma, formada por muitos dos 242 integrantes que integravam o estafe do hotspot e perderam o emprego em março por causa da pandemia, fez uma carreata no entorno do estabelecimento localizado na Sunset Boulevard para chamar atenção ao fato de que foram demitidos sem receber qualquer tipo de indenização trabalhista. Muitos deles, inclusive, contraíram a Covid-19, e não conseguiram se tratar da melhor maneira por que ficaram sem seus planos de saúde.

“Mandaram a gente embora no meio de uma crise sanitária e arrancaram de nós aquilo que mais precisávamos nesse momento”, Mike Racanelli, que era porteiro no Chateau Marmont e foi uma das vítimas do corte em massa, reclamava ao megafone. Junto com a camareira Martha Moran, que deu expediente no hotel preferido das celebridades hollywoodianas durante 33 anos e também ganhou as contas recentemente, ele foi um dos líderes do protesto.

Fundado em 1929 e comprado por André Balazs em 1990, o Chateau Marmont criou um fundo de auxílio aos diagnosticados com o novo coronavírus que até agora levantou US$ 250 mil (R$ 1,33 milhão). Desse total, US$ 100 mil (R$ 534,1 mil) foi doado pelo empresário, que em nota afirma também ter feito e estar fazendo o possível por seus colaboradores. “Muitos que trabalham comigo há apenas alguns meses receberam US$ 350 [R$ 1.869] cada um, e os mais antigos chegaram a receber US$ 5 mil [R$ 26,7 mil] cada um”, ele explicou. “E nossos funcionários contratados continuam tendo acesso ao melhor plano de saúde”, completou Balazs. (Por Anderson Antunes)