07.03.2019  /  0:00

Descrito como “fake”, quadro atribuído a Caravaggio vai a leilão em junho por mais de R$ 646 mi

O quadro atribuído a Caravaggio: será que é dele mesmo? || Créditos: Getty Images

Vai a leilão no próximo dia 27 de junho, em Paris, um quadro de Caravaggio que permaneceu anos escondido no sótão do atelier mantido pelo leiloeiro Marc Labarbe em Toulouse, no sul da França, e foi descoberto por acidente em 2014 por um funcionário dele que limpava o local. Antes de ser vendido no martelo, será exibido ao público em Paris e também em Nova York, logo depois de Londres, onde está exposto desde a semana passada.

Batizada “Giuditta e Oloferne” e comumente chamada de “Judite decapitando Oloferne”, a obra datada de 1599 é alvo de uma grande controvérsia desde seu ressurgimento, já que muitos especialistas duvidam que o artista italiano morto em 1610 seja seu verdadeiro autor.

Ainda assim, o óleo sobre tela foi classificado como “um tesouro nacional” pelo ministro da Cultura francês Franck Riester e tem tudo para ser um dos maiores destaques do ano no cada vez mais concorrido segmento dos leilões de objetos de arte, com um lance inicial de US$ 171 milhões (R$ 646,4 milhões). (Por Anderson Antunes)