19.01.2020  /  9:00

Deficiente auditivo processa o maior site pornô do mundo, que não disponibiliza legendas para surdos em seus vídeos

O Pornhub não disponibiliza legendas para surdos em seus vídeos || Créditos: Reprodução

O Pornhub, o maior site de conteúdo adulto do mundo, é alvo de um processo no mínimo inusitado. O autor da ação é Yaroslav Suris, que mora no Brooklyn, em Nova York, e é deficiente auditivo. Suris resolveu buscar seus direitos porque o Pornhub não disponibiliza legenda para surdos (“closed captions”) em seus vídeos, e portanto o impede de apreciá-los como gostaria, o que considera ser inconstitucional diante das leis federais dos Estados Unidos que garantem a igualdade entre todos.

E ele ainda cita vários desses vídeos que perdeu de aproveitar nos autos, com títulos e tudo. Entre os publicáveis, destacam-se “Policial Sexy Faz Testemunha Falar” e “Tia Gostosa Cuida de Sobrinho Desobediente”. “Sites pornográficos são lugares de acomodação pública e quando impedem alguns de seus usuários de acessá-los integralmente e sem restrições em relação a outros, ferem a lei”, Yuris reclama no processo.

O PornHub é uma subsidiária da holding canadense MindGeek, que também é dona de outros sites pornôs e fatura mais de US$ 500 milhões (R$ 2,1 bilhões) por ano. Também e da empresa o “Pornhub Awards”, um espécie de Oscar da pornografia criado em 2018 e que faz sucesso desde então. Em tempo: a indústria americana de pornografia movimenta US$ 97 bilhões por ano e é, de longe, a maior e mais profissionalizada do mundo. (Por Anderson Antunes)