21.06.2018  /  13:45

Deborah Secco revela que tinha medo de não ser mãe: “Chorei muito na minha festa de 35 anos”

Deborah Secco na pré-estreia de “Mulheres Alteradas” que rolou no Iguatemi SP nessa terça-feira || Créditos: Bruna Guerra

Deborah Secco tem os mesmos dramas de muitas mulheres, pode acreditar! Essa semana, durante a coletiva do filme “Mulheres Alteradas”, de Luis Pinheiro, em que ela interpreta Keka, secretária de uma advogada workaholic e solitária, interpretada por Monica Iozzi, que na trama tenta salvar seu casamento com Dudu (Sérgio Guizé), Deborah relacionou casos debatidos no longa – uma comédia feminina – a um turning point de sua vida. A atriz revelou que em determinado momento teve medo de não conseguir ser mãe. “Chorei muito na minha festa de 35 anos. Não tinha namorado, não tinha filho, nada. E deu tempo! Engravidei com 35”, falou ela aliviada. Hoje, Deborah é mãe de Maria Flor, 2 anos, fruto de seu casamento com Hugo Moura.

A revelação da atriz foi muito parecida com a feita recentemente por Amal Clooney, mulher de George Clooney. Ao ser convocada para subir ao palco de um evento em Los Angeles para discursar sobre o maridão, a advogada o encheu de beijos e abriu o coração ao dizer que tinha medo de ficar solteira para sempre antes de conhecê-lo, também aos 35 anos.

Deborah Secco como Keka, sua personagem no longa “Mulheres Alteradas” || Créditos: Divulgação

Com extenso portfólio de papéis dramáticos, Deborah Secco está tendo um caso sério com a comédia! Na TV como Karola, na novela “Segundo Sol”, sua atuação tem rendido ótimas críticas pelo tom da personagem que tem divertido o telespectador, além de estar prestes a estrear nos cinemas. Na coletiva, Deborah falou que Keka é a única personagem do filme com quem ela não se identifica e afirmou ver o gênero comédia com outros olhos hoje. “Um certo momento achei que nunca mais faria comédia, porque tudo me parecia pouco. As pessoas de fato se mobilizam muito mais com um personagem dramático, mas a comédia me fez acreditar que algo menos profundo não necessariamente é ruim. Meu talento para fazer esse gênero vem de um certo despudor. Não tenho medo de ficar ridículo, de errar. Comédia é difícil pra quem se julga muito, eu acho.”

O filme estreia em todos os cinemas do Brasil no dia 5 de julho. Abaixo, confira o trailer.