13.10.2013  /  11:57

De pai para filho: conheça a nova geração de bilionettes brasileiros

Da esq. para a dir.: Natalie Klein, Roberto Marinho Neto, Marcos Amaro, os irmãos Pedro Paulo e João Paulo Diniz e as irmãs Daniela Beyruti e Rebeca Abravanel

A última lista de bilionários publicada pela edição brasileira da revista “Forbes” mostra que os mais ricos do Brasil também são, em boa parte, membros das mais tradicionais famílias do país. Isso significa que, ao contrário dos bilionários “self made” dos Estados Unidos, que se destacam nas listas dos mais ricos de lá, os bilionários brasileiros devem suas riquezas simplesmente ao fato de terem nascido em berço de ouro.

Também é importante notar que manter um patrimônio que se conta aos bilhões é uma tarefa tão árdua quanto construir uma fortuna dessa magnitude. Tome-se como exemplo os irmãos Roberto Irineu, João Roberto e José Roberto Marinho, que dividem entre si o controle das Organizações Globo, o maior conglomerado de mídia da América Latina.

Com a morte de Roberto Marinho em 2003, eles herdaram do lendário jornalista algo em torno de US$ 1,5 bilhão. Se não tivessem talento para os negócios, dificilmente seriam hoje a família mais rica do Brasil, com uma fortuna combinada de US$ 26 bilhões -quase 18 vezes o valor que receberam há dez anos.

Assim como os Marinho, uma nova geração de filhos de bilionários -os bilionetes- vem se destacando não somente nas colunas sociais, mas também no noticiário econômico, graças a iniciativas de negócios próprias  e também por conta das trajetórias acadêmicas e corporativas que eles estão construindo. Claro que um sobrenome de peso e, acima de tudo, uma conta bancária familiar de respeito ajudam nessas horas.

Confira quem são os bilionettes do momento: