04.05.2018  /  9:00

Papo reto com Chay Suede: de crush infantil por Giovanna Antonelli a estranha habilidade

Chay Suede || Créditos: Reprodução/ Instagram

Quem é Ícaro, novo personagem de Chay Suede, um rapaz bem problemático na novela “Segundo Sol”, substituta de “O Outro Lado do Paraíso”? Glamurama foi perguntar para o ator. “É um garoto privado da convivência com a mãe [Giovanna Antonelli]. Ela some e, pra ele, durante toda a vida, é como se ela fosse uma assassina. A irmã dele [Luisa Arraes] é adotada, ele não. É uma série de lacunas que o torna um pouco arredio. Frustrações não resolvidas nunca, feridas abertas que fazem com que ele se comporte muitas vezes como um adolescente”. A entrevista, talvez pelo gosto do rapaz por respostas sucintas, acabou em um estilo meio bate bola. Vem ler!

Emendando trabalhos

“Por que me chamam tanto? Acho pouca coisa. Fico mais agradecido do que especulando sobre por que me chamam. Mas fico feliz quando lembram de mim. Tô aí na luta, bicho”.

Uma habilidade estranha

“Sempre fui muito noveleiro, desde a infância, do tipo que se você falar um ano eu digo que novela estava passando…”

João Emanuel Carneiro [autor de “Segundo Sol”] é…

“Muito humilde. E meu autor favorito de novelas, como espectador. Gostei muito de ‘Cobras e Lagartos’ e ‘Da Cor do Pecado’. ‘Avenida Brasil’ talvez seja a melhor novela que já vi”.

Por que humilde?

“Na preparação antes da gente começar a gravar os capítulos, ele disse: ‘Sou um só e nem sempre escrevo como gostaria. Sintam-se à vontade para incluir coisas de vocês no texto’. Isso deixou a gente muito livre e causou uma empatia imediata”.

Por que preferido?

“Gosto do jeito nada óbvio que ele monta os personagens, sempre muito contraditórios… Você perde essa noção de mocinho e vilão, que é o que em geral um melodrama tem como ponto de partida. Subverter o lugar dos personagens, um texto perigoso, no qual coisas perigosas acontecem… Tudo com risco funciona bem”.

Uma atriz que admira

“Fabiula Nascimento. Vi em um filme e fiquei completamente louco pelo trabalho dela. E a Giovanna Antonelli, desde que eu me entendo por gente. Ela vai ficar p[…] comigo. Mas, na época de “O Clone”, ela era meu crush. Eu tinha uns 10 anos”.

E agora Giovanna é mãe de Chay…

“Parece que não é a mesma pessoa: o Chay que assistia [antes da fama] e o Chay que faz. Mas eu já fui filho de Fernanda Montenegro com Nathalia Timberg – em ‘Babilônia’ – e foi inesquecível, então entendo bem isso de fazer filho de quem admiro”.

O que tem em comum com Ícaro?

“Todas as minhas tatuagens, que não vou precisar esconder”.

Ele é um garoto de programa…

“Não sei se é. Ele se prostitui… Briga com a tia que o cria, sai de casa, tem um amigo que já esta na mamata e dá o caminho das pedras pra ele, que precisa de grana pra ontem… Achou que dava pé, foi. Depois ele descobre que o buraco é mais embaixo…”

Algum hobby que a novela já te trouxe?

“A capoeira. Nunca tinha feito e pretendo continuar. É um exercício completo. E tanto a parte musical quanto a histórica são muito lindas também. Na aula, não se divide uma coisa da outra. Gostei muito”. Chay está mais forte. “Estou, sim. Malhei”. (por Michelle Licory)