13.02.2018  /  19:28

Daniela Mercury sobe no trio em Salvador seguida por uma legião de súditos

Daniela Mercury || Créditos: Divulgação

“Eta pipoca linda”. Com esta saudação, a rainha da Axé Music subiu no trio nessa terça-feira no Circuito Osmar (Centro). Seguida por uma legião de súditos, Daniela Mercury, conhecida por sua defesa às causas LGBT, foi ovacionada pelos foliões. “Ela é irreverente, tem coragem de levantar esta bandeira nesse mundo cheio de preconceitos”, disse o figurinista Maurício Martins.

Usando um vestido vermelho esvoaçante, Daniela cantou para Iansã, deusa dos raios e trovões, e foi aplaudida de pé. “Amo a música, o trabalho dela é incrível”, declarou Maria Paula Rodrigues, arquiteta.
Na passarela do Campo Grande, Daniela fez uma apresentação de tirar o fôlego, iniciada ao som de “Banzeiro”. Acostumada a inovar durante o Carnaval, decidiu fazer uma brincadeira e eleger o samba como presidente. Para isso, reproduziu a atmosfera do “Cassino do Chacrinha”, onde cada participante representava um tipo de samba: reggae, enredo, de roda e tantos outros. Entre os convidados, a Companhia Baiana de Patifaria, que está completando 30 anos de fundação, e a cantora Amanda Santiago, que fez a defesa do samba reggae, cantando um pout pourri.
Os foliões entraram no clima. Para votar era só cantar bem alto. A rainha se despediu com a canção que a lançou para o mundo, “Canto da cidade”, e a reação dos súditos não poderia ser diferente, um coral afinadíssimo seguiu entoado cada acorde.