11.08.2020  /  13:54

Daniel de Oliveira comemora participação em série e elogia: “Contar a história de Hebe é contar parte da história da televisão no Brasil”

Hebe (Valentina Herszage) e Luís Ramos (Daniel de Oliveira) // Divulgação

Em seu terceiro episódio, que vai ao ar nesta quinta-feira, a série ‘Hebe’ relembra a relação proibida entre a apresentadora e Luís Ramos, e mostra a artista se tornando a “Rainha do Rádio”. O rádio estava em sua era de ouro na década de 1940 e Hebe Camargo apenas no início de sua carreira como cantora. Justamente neste período, ela viveu seu primeiro grande amor com Luís Ramos, ex-diretor da Rádio Excelsior, bem mais velho e casado. Na série, o empresário é interpretado pelo ator Daniel de Oliveira, que divide a maior parte de suas cenas com Valentina Herszage, no papel da Hebe jovem.

Em entrevista, Daniel fala sobre a importância da exibição da série na TV aberta, fala de sua imersão no personagem e elogia Andrea Beltrão e Valentina, as protagonistas de ‘Hebe’: “Valentina é uma excelente atriz e, com esse personagem, desponta como uma das melhores de sua geração. Uma grande parceira de cena. Muito dedicada e estudiosa. Assim como Andréa Beltrão; as duas brilham na série”.

Em ‘Hebe’ você interpreta Luís Ramos, o primeiro grande amor de Hebe Camargo. Como foi participar da série e ajudar a contar esse episódio da vida da apresentadora?
É sempre muito interessante fazer algum trabalho sobre uma época distante da nossa. O diretor artístico Maurício Farias e toda a produção foram extremamente cuidadosos e caprichosos. Tenho orgulho de fazer parte do elenco dessa série. Luís Ramos foi “um amor que era um inferno”, segundo Hebe Camargo. Os dois tiveram uma relação conturbada, mas de muita paixão. Na época, além da diferença de idade entre os dois, Hebe estava no começo de sua trajetória e Luís Ramos e sua família já faziam parte da comunicação brasileira através do rádio e jornais.

O que mais chama a sua atenção neste personagem?
O fato de ser um homem de grande influência social na época e o fato de trabalhar no rádio e jornal me chamou atenção para esse personagem. Era casado, mas teve uma forte relação com Hebe, que se tornaria uma estrela pouco tempo depois. Um personagem muito interessante.

Como foi contracenar com Valentina Herszage?
Valentina é uma excelente atriz e, com esse personagem, desponta como uma das melhores de sua geração. Uma grande parceira de cena. Muito dedicada e estudiosa. Assim como Andréa Beltrão, ela brilha na série.

Você já conhecia a história de Hebe? 
Depois de ler a biografia da Hebe, conheci um pouquinho dessa grande comunicadora brasileira. O período que mais me lembro da Hebe foi no final dos anos 80. Minha tia Terezinha e minha madrinha Lourdes não perdiam um programa. E, sempre que eu estava por lá, acabava assistindo também.

Qual a importância de contar a história de Hebe Camargo na TV aberta?
Contar a história da Hebe é contar uma parte da história da televisão no Brasil. A transição da comunicação de massa do rádio para a TV foi uma novidade que somente anos depois a internet repetiu. A mulher à frente de um canal de TV naquela época teria que ter a força e a coragem de uma leoa. Hebe tem seu lugar na história dos grandes e mais populares apresentadores.