Dj Patrick Muniz (Foto: Acervo Pessoal/Arte: Veri Piccinini)

“Trava na Pose”: conheça o DJ Patrick Muniz, ex-feirante que virou hit no Tik Tok, sonhava com o futebol e quer chegar a Neymar

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0

Dono de um hits que mais viralizou no Tik Tok nas últimas semanas, o DJ Patrick Muniz ainda passa despercebido aos olhos do grande público. Sua faixa “Trava na Pose Chama no Zoom dá um Close” aparece nas trends da plataforma de vídeos curtos, tendo alcançado artistas do naipe de Larissa Manoela, Maísa, Tirulipa e Whindersson Nunes para citar alguns. Desde o lançamento, no fim de setembro, vem subindo posições nos charts de streamings como o Spotify – passando a marca de 1 milhão de plays essa semana. Lançada no fim de setembro, também aparece nas trending tracks da Deezer (que não revela o número de execuções, mas teve crescimento de 325% desde o lançamento), ocupando o quinto lugar no Brasil, e o vídeo com o áudio oficial tem 1.8 milhões de visualizações no YouTube.

“Tinha uma grande noção que essa música iria ‘andar’, só que não nessa velocidade. Sobre faturamento, ainda não recebi nada, a música é muito recente. Estou atingindo um público muito diferente do que imaginava, pois crianças, pessoas mais velhas e celebridades estão dançando e cantando a minha música. Muito feliz com tudo o que está acontecendo…”

DJ Patrick Muniz, cantor e produtor

Todo o processo de criação da faixa foi feito por telefone, entre ele e o parceiro de composições, o DJ Olliver, de Cuiabá (MT). Para Muniz, que já tinha feito algum barulho com a pesada “Eu Catuquei Vs Magrão”, featuring DJ GBS, não tem fórmula mágica no seu som e depende da química entre os artistas em estúdio. “Trava na Pose”, por exemplo, tem sample de “Prayer In C”, do Robin Schulz com Lilly & The Prick. Seria esse universo uma inspiração? “Na real, sempre escutei algumas melodias de música eletrônica e acho muito massa”. Depois de ficar espantado com a viralização, tem apenas um desejo: “Quero realizar meu sonho do jogador Neymar dançar a minha música”.

O DJ e produtor ainda é microinfluenciador nas redes sociais, como Instagram e o próprio Tik Tok – onde sua trilha faz sucesso. “A galera (ainda) está associando a minha imagem ao meu trabalho. Muita gente conhece minhas músicas, mas ainda não conhece o meu rosto”, diz ele, que tem um plano junto ao seu escritório de empresariamento para cuidar de sua imagem. Aos 18 anos, natural de Goiânia (GO), mas dividindo residência entre Porto Nacional (Tocantins) e a capital paulista por conta dos trabalhos, suas produções começaram a ganhar corpo em agosto de 2020 dentro do funk.

Ainda que em sua cidade os ritmos “fortes” sejam o sertanejo e o forró, o jovem cantor que se diz tímido escuta funk desde 2014. “De lá para cá, sempre me interessei pelo estilo musical. Mas, só depois, encarei o desafio de produzir e tocar. Não tenho artista de preferência, pois eu escuto de tudo. Sou bem eclético: sertanejo, funk, forró, axé e pisadinha”. Da família, apenas um tio-avô era cantor sertanejo e uma prima, cantora, que entoa o mesmo ritmo. Antes de se arriscar na música, Muniz chegou a trabalhar como atendente em uma adega de bebidas e foi feirante, assim como os tios, que chama de pais.

@maisa

da um close 😎 dc????

♬ trava na pose DJ patrick muniz e DJ olliver – henriqueyhara

Nanico no Twitter, onde tem menos de 50 seguidores, solta o verbo sobre relacionamentos, chifre e traição, mas diz que não namora. “É apenas uma brincadeira, eu estou solteiro e sem pretendentes (risos)”. Ainda que se intitule de tímido, tem uma convicção na música: quer fazer história, com motivação e superação. “Sobre dominar o gênero, não tenho essa intenção, pois respeito demais meus companheiros de trabalho e tem espaço para todo mundo”.

Antes de se embrenhar pelos beats, sonhava em ser jogador de futebol, mas sofreu um acidente automobilístico com a mãe, que frustrou os seus sonhos. Ainda nos planos? “Construir uma carreira sólida para dar o melhor para a minha família”, pontua. Muniz faz parte do canal Ritmo Dos Fluxos, que lança músicas de funk em primeira mão e acumula milhões de plays a cada lançamento.

@larissamanoela

Trava na poseeee 💁🏻‍♀️

♬ trava na pose DJ patrick muniz e DJ olliver – henriqueyhara

Mestre do mandelão

Conhecido como “mestre do mandelão”, esse nome veio de uma brincadeira entre ele o MC Luan Fhel. Estavam gravando uma música e ele colocou uma vinheta: “Acabou virando meu bordão”. Suas letras com teor +18, daí o apelido, são criadas em estúdio, junto de artistas que fazem parte do seu círculo. “Criamos aleatoriamente. Sempre ajudo nas composições, temas e ideias das músicas”, acrescenta. Para tocar na rádio, vai ter de abrandar os versos, ele sabe. “A versão light tá nos planos para minhas músicas alcançarem outros públicos”. Fã de MC Kitinho, hoje em dia o artista é amigo pessoal do cantor. Quem também, para ele, era referência e acaba sempre falando é o influencer Clé Colussi.

@vovostiktokers

#travanapose desse #domingo aproveitando uma #praia 🧑🏻‍🦳💟✨ como está o dia de vocês? 😛 #vovostiktokers #tiktokers #tiktoker #fy #foryou

♬ trava na pose DJ patrick muniz e DJ olliver – henriqueyhara
Você também pode gostar