São Paulo
Reprodução/Pexels

São Paulo 468 anos: um guia do avesso que é Sampa

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0

A cidade de São Paulo completa 468 anos nesta terça-feira (25/01) e seus mais de 12 milhões de habitantes, segundo dados do IBGE divulgados em 2020, vivem uma eterna história de amor e ódio com a metrópole, que oferece uma enxurrada de possibilidades e, em contrapartida, uma série de problemas.

Com mais de 1.521,110 km² é quase impossível conhecer tudo o que São Paulo tem de bom – e ruim -, mas vale a pena sair da “mesmice” e aproveitar a data para um passeio por lugares que fogem do convencional e partir para uma “viagem” dentro do município ou mesmo preparar uma receita clássica dos paulistanos.

No guia de aniversário da cidade de São Paulo feito pelo GLMRM, tudo é possível, como cantou Caetano Veloso: “Porque és o avesso do avesso do avesso do avesso”, na canção “Sampa”.

Reprodução/Pixabay

São Paulo é um espetáculo

Com estreia marcada para sexta-feira, 28 de janeiro, às 21h, “São Paulo” é um espetáculo em que a personagem principal é a própria cidade, com sua história, encantos, curiosidades e contradições contados por meio de músicas, textos e poesias que falam da cidade, desde a sua fundação. Regina Braga é a estrela do elenco que interpreta textos de Roberto Pompeu de Toledo, José Miguel Wisnik, Mario de Andrade, Oswald de Andrade, Paulo Prado, Castro Alves, Paulo Caruso, Guilherme de Almeida, Plínio Marcos, José Ramos Tinhorão, Alcântara Machado, Manuel Bandeira, German Lorca, Frei Gaspar da Madre de Deus, Carlos Augusto Calil, Paulo Bonfim, Stefan Zweig, Drauzio Varella e Pedro Corrêa do Lago são entremeados por músicas de Paulo Vanzolini, Adoniran Barbosa, Luiz Tatit, Chico Cesar, Renato Teixeira e outros compositores que cantaram cenas do cotidiano e as vicissitudes dos habitantes da cidade. Com direção de Isabel Teixeira, o elenco também é composto por de Xeina Barros (voz e percussão), Alfredo Castro (voz e percussão), Vitor Casagrande (voz, cavaquinho e bandolim) e Gustavo de Medeiros / Guilherme Girardi (voz e violão).

Ingressos e informações sobre a peça “São Paulo”, clique aqui.

PF paulistano

Divulgação

Uma vez por semana, pelo menos, é dia de comer um Virado a Paulista, o PF (Prato Feito), clássico da culinária local. Dá para pedir nos restaurantes, mas quem preferir cozinhar, aqui a receita do prato assinada pela restauratrice Maddalena Stasi, da Mercearia do Conde, no Jardim Paulistano.

Costelinha de porco confitada

  • 2 kg de costela suína
  • 2 kg de banha de porco derretida
  • 3 talos de alecrim fresco
  • 3 talos de tomilho fresco
  • 1 colher de chá de pimenta do reino
  • sal grosso a gosto

Modo de preparo: Tempere a costela com as ervas, a pimenta e o sal. Deixe marinar por 24 horas na geladeira. Derreta a banha em fogo baixo. Coloque a marinada de costela dentro da banha e deixe cozinhar em fogo brando, sem deixar a banha ferver por 3 a 4 horas, até a carne da costela começar a soltar do osso. Remova do fogo, deixe esfriar e retire a costela da banha de porco. Na hora de servir, sele a costela na frigideira (ou na grelha) em fogo alto (não será necessário adicionar nenhum tipo de gordura).

Virado de Feijão

  • 4 colheres de sopa de gordura de porco
  • 1 cebola grande cortada em rodelas
  • 3 dentes de alho amassados
  • 2 xícaras de chá de feijão cozido escorrido
  • 1 ½ xícara de chá de farinha de milho em flocos, desfeita com as mãos
  • 4 colheres de sopa de cheiro-verde picado
  • sal e pimenta a gosto

Modo de preparo: Coloque a gordura numa panela, leve ao fogo alto e deixe derreter. Junte a cebola e o alho e refogue, mexendo de vez em quando, até a cebola ficar macia. Adicione o feijão e misture bem. Acrescente a farinha de milho aos poucos, mexendo sempre. Junte o cheiro-verde, misture e tempere com sal e pimenta a gosto.

Croquetes de banana

  • 6 bananas-nanicas firmes, não muito maduras
  • 1 ½ de chá de amido de milho
  • 1 ½ xícara de chá de farinha Panko
  • 4 claras de ovos
  • óleo para fritar

Modo de preparo: Descasque a banana e corte em pedaços de 4cm. Passe cada pedaço no amido, na clara de ovo e na farinha Panko, envolvendo bem. Coloque bastante óleo numa panela, leve ao fogo alto e deixe aquecer. Frite os pedaços de banana aos poucos, até ficarem bem dourados. Tire com uma escumadeira e deixe escorrer em papel absorvente.

Montagem: Sirva a costela, o virado de feijão e os croquetes de banana acompanhados de ovo frito com gema mole, arroz branco e couve refogadinha no alho.

Italiano de novo?

A gastronomia italiana praticamente domina os cardápios paulistanos e já provou ser tão boa quanto do seu país de origem. Por isso, vale deixar as massas de lado para experimentar delícias de outros lugares. O bairro de Pinheiros, por exemplo, acaba de ganhar o restaurante Purgatório, misto de bar de tapas e tasca portuguesa. O menu assinado pela chef ítalo venezuelana Sabrina Cadetto é enxuto e rotativo com foco na cozinha do sul da península ibérica, mais especificamente nas regiões Andaluzia (Espanha) e do Alentejo (Portugal), as dicas do GLMRM, que experimentou e aprovou, são: Porção de Croquetes mistos: croquetas espanholas recheadas com creme bechamel, presunto e alioli; croquetes portugueses de carne e bolinhos de bacalhau; Bitoque: filet mignon com ovo frito por cima e batatas fritas, e de sobremesa a Crema catalana ou o Mousse de chocolate. Ainda tem uma ótima carta de vinhos e drinks autorais.

Purgatório
R. dos Pinheiros, 436, Pinheiros. 68 lugares. Funcionamento: 12h/15h e 19h/23h (dom. 12h30/17h30; fecha 2ª). + @purgatorio_bar_restaurante

Pão, meu!

Se tem algo que o paulistano gosta é de pão, ou melhor, pãozinho. Seja na padaria do bairro ou nos estabelecimentos que surgiram nos últimos tempos com a produção artesanal, vale dar uma fugida para conhecer as padarias artesanais. A nossa dica é a Farinha na Cozinha com delícias feitas com fermentação natural, pães e menu recheado.

Rainha (paulistana) do Rock Brasileiro

Rita Lee é a rainha do rock e paulistana nata, tanto que até já cantou “As mina de Sampa dizem mortandeila, berinjeila / Apartameintu! / Sotaque do Bexiga, reina, cem por cento. E a exposição que comemora os 50 anos de carreira da artista fica em cartaz só até 20 de fevereiro, no Museu da Imagem e do Som. GLMRM foi e indica, claro.

A modernidade de 1922

A Agenda Tarsila, pioneira e maior plataforma digital dedicada ao movimento modernista, apresenta uma seleção de atividades culturais que promovem artistas e obras sobre a Semana de Arte Moderna, que em fevereiro de 2022 celebra 100 anos. O público terá a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre a vida, a obra e todo o contexto social, cultural, econômico e arquitetônico que se relaciona com a Semana de Arte Moderna em diferentes espaços da cidade com destaque para Museu Afro Brasil, Pinacoteca, passeios pelos centros velho e novo da capital, SP Escola de Teatro, além de atrações virtuais e ‘contação’ de histórias sobre a vida e a obra de Villa-Lobos na Biblioteca da cidade de São Bernardo do Campo.

Para conferir a agenda completa, clique aqui.

Praia de paulistano

O shopping é a praia do paulistano e essa expressão foi traduzida à risca na Zona Sul da Cidade. O Sampa Beach é um espaço ao ar livre de 1.500m², com estrutura completa, aulas de futevôlei, beachtennis e vôlei de praia, restaurante, área gourmet e quatro quadras para aulas e locação, com areia e tudo. Onde fica? Dentro do Morumbi Town Shopping.

Quem estiver pelo centro da cidade nesta terça-feira, às 12h rola a intervenção artística, A Mulher Só, da Cia Base, em que artistas se apresentarão com uma dança suspensa na fachada do Shopping Light.

Reprodução/Pixabay
Você também pode gostar