Marighella
Divulgação

“Marighella”: 7 curiosidades do primeiro longa dirigido por Wagner Moura

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0

Marighella“, dirigido por Wagner Moura, vai estrear em 4 de novembro após mais de dois anos de atraso. O longa chega aos cinemas brasileiros no aniversário da morte do ativista, com Seu Jorge interpretando o escritor, político e guerrilheiro ao lado de Bruno Gagliasso, Adriana Esteves e Humberto Carrão. A ansiedade é tanta, que reunimos algumas curiosidades para te deixar com ainda mais vontade de assistir ao lançamento!  

Primeiro longa dirigido por Wagner Moura

Considerado pela crítica um dos protagonistas do cinema brasileiro atual, “Marighella” marca a estreia de Wagner Moura na direção, que também roteirizou o filme ao lado de Felipe Braga. Andrea Barata Ribeiro e Bel Berlinck são os produtores.

52 anos do assassinato de Carlos Marighella

O filme fará sua estreia no dia 4 de novembro, quando serão completados 52 anos do assassinato de Carlos Marighella pela Ditadura Militar brasileira, em 1969.

É baseado na biografia

O longa é inspirado na biografia escrita pelo jornalista Mário Magalhães e foca nos últimos cinco anos de vida do escritor, político e guerrilheiro, de 1964 até sua violenta morte em uma emboscada, em 1969.

30 exibições em países nos cinco continentes

A estreia mundial ocorreu no Festival de Berlim de 2019, quando o filme foi aplaudido de pé. Ele também passou por outros festivais internacionais como Seattle, Hong Kong, Sydney, Santiago, Havana, Istambul, Atenas, Estocolmo e Cairo.

Elenco de peso

Com Seu Jorge no papel principal, o filme também tem participação de Bruno Gagliasso, Luiz Carlos Vasconcellos, Herson Capri, Humberto Carrão, Adriana Esteves, Bella Camero, Maria Marighella, Ana Paula Bouzas, Carla Ribas, Jorge Paz… só para citar alguns.

Estreia barrada

O longa teve sua estreia brecada algumas vezes, sendo a primeira em virtude da pandemia. Em situações mais recentes, ações se tornaram alvo de denúncias de censura.

Pedido de reembolso

Em agosto de 2019, a Diretoria Colegiada da Ancine vetou um pedido de reembolso de mais de R$ 1 milhão feito pela produtora do filme. Segundo a decisão, o pedido foi negado porque os recursos pelos quais a produtora O2 pede reembolso são parte da receita já aprovada para o projeto.

Você também pode gostar