Anitta
Reprodução/Instagram

Anitta fala de sucesso, política e Bolsonaro em entrevista a revista americana: ‘Ele me odeia’

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0

A revista americana Interview escalou o colombiano J.Balvin, parceiro de Anitta no hit “Downtown”, para uma longa entrevista com a cantora (leia a íntegra em inglês), em que falam sobre o sucesso, os planos para o futuro e de política.

No papo, publicado com o título “Anitta para presidente”, a girl from Rio diz que tem estudado para ir além da música e usado sua voz para fazer mudanças no mundo. “Sou uma pessoa muito política e uso essa personagem e essa indústria para fazer as mudanças que quero ver no mundo”, conta.

A carioca ressalta que, com a fama, a chance de se deslumbrar e perder a sua essência cresce. “Para mim, nunca foi sobre ficar famoso e rico. Tratava-se de mudar a vida do meu povo, a vida do meu país. Então, se vou ao Met Gala, Coachella ou VMAs, não é porque quero me exibir. É porque eu quero que meu país acredite que eles podem ir a lugares onde nunca estiveram.”

Balvin a exalta como figura representante do Brasil. “Você é o seu país vivo. Você está dando às pessoas inspiração para serem o que quiserem ser. O povo do Brasil quer que você seja o presidente!”, empolga-se.

“Eu chamo ele de Valdemort”

Anitta declara que apesar de querer que o Brasil mude e de não ter medo de lutar por isso, nem pensa em concorrer à Presidência. Primeiro, por ter apenas 29 anos (para concorrer à presidência é preciso ter no mínimo 35 anos), e depois porque quer contribuir para levantar pautas importantes e urgentes agora.

“Eu me meti em um pequeno problema, mas me preocupo em proteger o meio ambiente, os povos indígenas e a sociedade. Minha família vai me dizer: ‘Você tem que desacelerar’. E eu fico tipo, ‘Não! Os indígenas estão morrendo. A floresta está sendo morta. Precisamos fazer algo. Eu tenho a voz.”

O colombiano então pergunta à Anitta se o presidente Bolsonaro não gosta dela. “Ele me odeia!”, responde ela. “Ele já disse isso em alto e bom som. Mas eu entendo agora que a estratégia dele é usar meu nome para criar buzz online e não vou deixar fazer isso. Então, tenho evitado falar o nome dele. Eu chamo ele de Valdemort”, completa ela, citando o bruxo inimigo do Harry Potter.

Você também pode gostar