08.02.2018  /  9:00

Como sobreviver aos blocos sem fazer feio? Glamurama entrega o roteiro no melhor estilo #dramafree

Geral do Bloco da Preta, no RJ! Tá preparado para encarar a maratona de bloquinhos de Carnaval? || Créditos: Felipe Panfili/Divulgação

Os blocos de rua não são novidade, longe disso… Deram as caras no Brasil no final do século XIX, quando começaram a aparecer os primeiros cordões e os famosos “corsos”. Tanto que os precursores estariam orgulhosos da projeção e do tamanho da folia que ajudaram a criar. Em 2018 o Carnaval de rua de São Paulo deve bater todos os recordes – de público e de blocos. Os trios elétricos estão nas ruas – mais cheios que nunca! –, os glamurettes andam mais animados que de costume e parece que o Carnaval só acaba mesmo quando o pique termina e haja fôlego…

A gente já fez uma matéria sobre como curtir tudo em segurança, com detalhes de especialistas, veja bem… Mas curtir a folia e suas particularidades exige certos cuidados. Para não fazer feio, afinal, ninguém quer escorregar no bom senso, Glamurama preparou algumas dicas, seguindo conselhos de quem entende do riscado, para arrasar no seu circuito de blocos sem dor de cabeça.

– Para aproveitar ao máximo: shorts & tênis. Deixe a flat para o vernissage, não invente moda.

– Chegar junto com os amigos no bloco, todos de uma vez só. Já dizia o ditado: ‘uma andorinha só não faz verão’. Nem Carnaval.

– Evite deixar algum colega sozinho, inclusive, vá ao banheiro sempre em dupla. Assim ninguém fica para trás (e ficar para trás é uó) e a segurança é mantida.

Bloco Carnavalesco de Belo Horizonte || Créditos iStock

– Use uma pochete resistente para levar seus pertences pessoais- só os básicos: cartão de débito, RG, celulares, gloss para elas, óculos de sol para ambos.

– Dê um tempo dos Stories… Aproveite a folia e registre só o necessário. As turmas mais cool andam postando tudo no fim do dia, tipo highlights… e só. Uma tática para não ostentar o celular e acabar sem bateria ou sem o aparelho. Olha o prejú…

– Quer mais segurança? Use um porta-documentos ou porta-dinheiro para esconder seus pertences, assim nada fica à vista e você aproveita sem grilo.

– Se alimente antes da folia. Os drinks mil, o sol e a andança são implacáveis. Colapsar no meio do bloco não dá.

– Anote os telefones dos seus amigos num papel ou no braço – por que não? Caso a bateria do celular acabe ou algo do tipo aconteça, e você se perder de todo mundo, all right, respire fundo, você está a salvo. É só fazer a ligação de um celular emprestado ou de algum estabelecimento comercial boa pinta.

– Não faça xixi na rua. A multa é de R$500. Hello… Se os banheiros químicos estiverem inabitáveis, o jeito é pedir para usar o W.C. de algum bar. Mesmo que seja cobrado um valor saiba que vai valer a pena.

– Drinks? Claro… Só evite qualquer birita vendida em copos, sempre escolha latas ou garrafas lacradas. O boa noite Cinderela rola solto!

Detalhe do Carnaval de rua de Olinda || Créditos: iStock

– Não tome bebida de terceiros, nem mesmo água. Você não sabe o que o colega colocou ali dentro.

– Vai comprar bebida na rua usando cartão de débito/crédito? Muita atenção: os vendedores estão com um novo golpe na praça. Trocam seu cartão sem você perceber e gastam todo seu saldo. Na folia, alegre, ninguém percebe o truque, mas é chegar em casa para se dar conta do estrago. Olhos abertos! #EviteEsseDrama

– Não faça o expert em parkour, nem o super-herói (mesmo que sua fantasia seja essa). Subir em pontos de ônibus, carros e escalar (!) outros “mobiliários” urbanos não é legal. Você corre o risco de se machucar e o bloco que está seguindo ainda é multado. Não seja essa pessoa!