13.03.2019  /  7:32

Com vários projetos no cinema e na TV, o astro de “Zumbilândia” Jesse Eisenberg admite que vive “isolado”

Jesse Eisenberg || Créditos: Getty Images

Jesse Eisenberg vai estrelar nada menos que três grandes produções para a telona nesse ano, sendo a mais hypada de todas a aguardadíssima segunda parte de “Zumbilândia” (a primeira foi lançada em 2009 e virou hit logo de cara), que tem estreia marcada para outubro. Antes disso, o ator indicado ao Oscar em 2011 por ter interpretado Mark Zuckerberg em “A Rede Social” será visto no thriller belgo-canadense “The Hummingbird Project”, em cartaz a partir dessa sexta-feira nos cinemas do hemisfério norte, e na comédia de humor negro “The Art of Self-Defense”, que chega aos cinemas em junho.

Some-se a esses trabalhos o último longa que o astro de 35 anos acabou de filmar – “Resistance”, a cinebiografia de Marcel Marceau, no qual ele interpreta o personagem principal -, e dá pra dizer que Eisenberg esteve praticamente incomunicável nos últimos meses. “Sempre que estou envolvido em um novo projeto, deixo de retornar ligações durante semanas”, disse o marido da assistente de produção Anna Strout em entrevista ao “New York Post” nessa terça-feira. “Isso [o isolamento] já se tornou sinônimo de atuação pra mim”.

Eisenberg é considerado um dos melhores atores da nova geração de Hollywood, e até hoje existem pessoas por lá defendendo a tese de que a Academia cometeu uma injustiça há oito anos quando deu a estatueta de Melhor Ator para Colin Firth (por “O Discurso do Rei”), ao invés de agraciá-lo com o prêmio. A boa notícia é que, além dos jobs já citados, o nerd assumido que também é galã pra muita gente tem vários outros engatilhados para a telinha, inclusive dois como diretor e roteirista: as séries “The Market” e “Bream Gives Me Hiccups”, ambas previstas para 2020. (Por Anderson Antunes)