23.11.2017  /  13:36

Com noite em tom de protesto, Masp celebra 70 anos com muito axé. Saiba o que rolou por lá

Daniela Mercury e Mariana Aydar, Maguy Etlin, Bia Aydar com Fernanda Nigro, e Geyze e Abilio Diniz: uma noite no museu! || Créditos: Paulo Freitas / Reprodução Instagram

A noite dessa quarta-feira foi de pura animação no Museu de Arte de São Paulo, o Masp, que recebeu mais de 500 convidados para o tradicional jantar anual realizado em seu subsolo seguido de festa como Glamurama contou anteriormente. Pouco depois das nove da noite, Heitor Martins, diretor-presidente do Masp, em seu discurso, agradeceu a presença dos convidados, em especial a artista plástica Elisa Bracher pela doação que fez ao museu – o quadro “Retrato de Sofia Cantalupo,”, de Candido Portinari.

Com shows de Daniela Mercury, Mestrinho e Mariana Aydar, a noite teve mais agradecimentos – Heitor e Daniela, por exemplo, não deixaram passar em branco o esforço de Bia Aydar para que o evento saísse do papel. Logo em seguida, os dois falaram sobre as polêmicas exposições que giram em torno do tema sexualidade e a cantora, antes de se apresentar, soltou um “abaixo a censura”, o que fez com que gritos de apoio e aplausos ecoassem pelo museu.

Mariana Aydar e Daniela dividiram o palco e cantaram juntas “Frevo Mulher”, música que fez com o público fosse a loucura e entre uma frase e outra, a cantora baiana disparou: “É o primeiro Carnaval aqui dentro do Masp, vamos agitar essa noite! Alegria é ordem nessa cidade. Alegria da democracia que a Tropicália tanto sonhou. Sem lenço, sem documento. Agora temos constituição, temos liberdade. Eles que nos aguentem. Vamos tirar essa turma daí e pronto. Já foi muito mais difícil!”.

“O Masp virou Carnaval e sem censura nenhuma. Que delicia participar da festa de 70 anos desse museu tão importante”, escreveu Mariana em seu Instagram. Para engrossar o coro, Daniela também se manifestou em suas redes sociais: “Não há prisão para a imaginação. Podem fechar os olhos, tapar os ouvidos e ainda assim a arte estará dando sentido à vida. As galerias são a nossa garganta, as telas são nosso corpo. Ninguém prende artista, nem dentro, nem fora de si. Proibir a arte é proibir a vida, é proibir a existência do homem”.

Abaixo Instagram de Daniela Mercury e galeria de fotos mostrando quem mais passou por lá. Só seguir a seta… (Por Matheus Evangelista)