20.07.2019  /  9:00

Com fortuna de R$ 1,5 bi, Gisele Bündchen faz 39 e é craque em fazer dinheiro. A seguir, 6 fatos que evidenciam isso!

Gisele Bündchen || Créditos: Reprodução

Gisele Bündchen completa 39 primaveras nesse sábado cheia de motivos para celebrar: além de ser uma celebridade de primeira grandeza e a brasileira de maior visibilidade no exterior, a top das tops está de fato cada vez mais rica e poderosíssima, tal como popularizado por aquele famoso meme. Mas Bündchen fez por merecer, já que começou a trabalhar com 13 anos e se deu tão bem que conseguiu se aposentar das passarelas aos 34, e hoje em dia vive da renda dos pouquíssimos e muito bem selecionados jobs que ainda topa fazer. Sem contar seus estimados US$ 400 milhões (R$ 1,5 bilhão), claro.

Tão ícone de sucesso financeiro como é de moda, Bündchen conquistou vários feitos ligados ao dinheiro desde bem cedo na carreira que logo a destacaram em um universo repleto de beldades boas de foto mas nem tanto de negociação, e ela própria vai ser a primeira a dizer que pra se chegar lá no mundinho é preciso muito mais do que um corpo invejável e um rosto com a estrutura óssea perfeita. E como estamos em mais um #GiDay, vale a pena relembrar algumas dessas conquistas dela. Continua lendo… (Por Anderson Antunes)

Bündchen em seus anos de Angel da VS || Créditos: Reprodução

#1 Em 2000, Gisele assinou aquele que é até hoje o maior contrato entre uma modelo e uma grande marca – no caso, a grife de lingerie americana Victoria’s Secret. Por cinco anos de trabalho exclusivo para a VS, ela embolsou US$ 25 milhões (R$ 93,5 milhões). Em 2005, o contrato foi renovado por mais dois anos.

A supermodelo em uma das várias campanhas que estrelou para a maison francesa || Créditos: Reprodução

#2 Uma das parcerias mais bem sucedidas da carreira de Gisele ocorreu no início dos anos 2000, com a Dior. A grife, então sob o comando de John Galliano, buscava remodelar sua imagem como uma alternativa mais sexy para as consumidoras de luxo e Bündchen, então no auge do momento “return of the curves” da moda, era quem melhor simbolizada isso naqueles tempos. Ela chegou a passar quatro dias sendo fotografada dentro de uma banheira de espuma para uma campanha de verão, sem reclamar. Tamanha dedicação lhe rendeu seis contratos consecutivos com a Dior, todos envolvendo cifras vultuosas.

Domenico Dolce, Bündchen e Stefano Gabbana: a dupla de estilistas é fã dela || Créditos: Reprodução

#3 Bündchen estrelou inúmeras campanhas para a Dolce & Gabbana e em 2006 foi escolhida por Domenico Dolce e Stefano Gabbana para ser o rosto de um novo perfume da grife, o The One, em um acordo multimilionário. A D&G foi fundamental para a construção da imagem da supermodelo entre os italianos e ela ficou tão associada com a marca que até mesmo Giorgio Armani já admitiu que não teria como contratá-la para representar sua label por causa disso.

Justin Long e Bündchen no filminho da Apple || Créditos: Reprodução

#4 Também em 2006, Bündchen estrelou um comercial para a linha de PCs da Apple, a Mac, ao lado de Justin Long, o ex de Drew Barrymore. No filminho de 30 segundos, que fez enorme sucesso nos Estados Unidos e entrou para a cultura pop do país, ela aparece representando os computadores pessoais da empresa criada por Steve Jobs ao mesmo tempo em que um homem vestido à sua imagem e semelhança se apresenta como um PC da rival Microsoft. Dizem que seu cachê pelo trabalho foi de US$ 4 milhões (R$ 15 milhões), ou cerca de R$ 500 mil por cada segundo em cena.

Bündchen e sua falecida yorkshire Vida em uma das campanhas da Sejaa || Créditos: Reprodução

#5 Em 2009, Bündchen lançou sua própria marca green de cosméticos, a Sejaa Pure Skincare. Segundo notícias da época, a marca chegou a atrair a atenção de gigantes da indústria de beleza como a americana Revlon e a japonesa Shiseido, que estariam interessadas em adquirir uma fatia do negócio por centenas de milhões de dólares.

Ter estrelado um comercial do Chanel No. 5 também está no currículo dela || Créditos: Reprodução

#6 Em 2014, Bündchen assinou um contrato do tipo dobradinha com a Chanel para estrelar a campanha de uma linha de maquiagens da maison, a Les Beiges, e também para ser a estrela do novo comercial do icônico perfume Chanel No. 5, o tipo de trabalho que é cobiçado não somente por modelos mas também por várias atrizes de Hollywood. O filminho de 58 segundos com a brasileira custou US$ 20 milhões (R$ 74,8 milhões) para ser produzido, e parte desse montante foi para na conta dela.