17.07.2018  /  15:07

Cleo está pronta para voltar à TV e dispara: “Não deixo de fazer nada que quero…” À entrevista!

Cleo || Créditos: Juliana Rezende

Cleo está de volta à TV em “O Tempo Não Para”, próxima trama das sete da Globo – e como uma vilã, Betina, que começa a aprontar ao perceber que está perdendo o noivo [Nicolas Prattes] para a mocinha que ficou congelada por 132 anos, papel de Juliana Paiva. “Sempre dei uns tempos entre uma novela e outra, mas adoro fazer. Por que aceitei a Betina? Ah, ela faz muita loucura. Quando vi as coisas que ela ia aprontar… Também achei legal ser uma mulher que começou a trabalhar muito cedo, que montou junto com o amor da vida dela uma empresa de sustentabilidade… Gostei de onde ela vinha, de como ela se desenvolve, pra onde ela vai… Por causa do amor, por sentir que está perdendo, ela atropela algumas coisas, é bem passional… E fica bastante magoada, sofre muito”.

“Tento não magoar, não que eu consiga…”

“Eu gosto de vilão. É clichê falar, mas você pode fazer um monte de coisa que não poderia fazer na sua vida”. Maldade Cleo não quer fazer, claro. Mas mesmo sendo assim, toda segura de si, será que ela ainda se priva de tomar alguma atitude só pra não chocar a sociedade, ainda tem esse “filtro” do politicamente correto que vilão nem tem? “Não deixo de fazer nada que quero. Pelo julgamento das pessoas, não. Às vezes é por falta de oportunidade, algo que ainda não rolou… Está no processo de… Já fiz, mas quero fazer diferente… A verdade é que nunca estou muito satisfeita. Gosto de ter novos desejos, metas. Eu tenho uma preocupação de não querer magoar uma pessoa gratuitamente, então talvez se eu achar uma coisa que sei que vai chatear, vou tentar falar de uma forma mais açucarada. Tento, não que eu consiga… Mas não é pela sociedade, nada disso, é mais pelos sentimentos individuais envolvidos”.

“O que quer, pegar um flagra meu? Não é justo”

Hum, não se policia quando sabe que pode estar sendo filmada, por exemplo? “Tem momentos e momentos. Consigo dosar bem, não me sentir tolhida, aproveitar minha liberdade, meus desejos, mas também tentar não me expor a troco de nada. É que é muito chato quando você está num rolê e vê alguém te filmando. Cara, me pede uma foto, brother! O que quer, pegar um flagra meu? Não é maneiro, não é justo isso. Então às vezes me privo de algumas coisas. Não me privo na vida, me privo nesses momentos”. Entendido!

“Quando eu era mais nova, achava muito estranho existir”

A história fala dessa relação passado/ presente. “O presente é meu momento mais feliz. Não resgataria nada do passado”, sentencia a atriz. Comentamos que ela já viveu, lá atrás, uma fase mais fechada, e hoje deixa muito óbvio tudo que está sentindo, pensando, sempre à flor da pele… Seja em entrevistas ou em suas redes sociais. “Acho que eu me adaptei dentro da minha própria pele e do ambiente em que vivo. Quando eu era mais nova, achava muito estranho existir. Eu não sabia muito bem me comunicar, falar exatamente o que eu pensava. Muita coisa ficava guardada – e eu ia criando um monstro dentro de mim. Com a maturidade, você vai aprendendo. É natural”.

“Essas mulheres que saem um pouco do trilho – eu gosto”

Aquela pergunta clássica: o que Cleo tem de parecido com Betina? “Determinação, independência, vontade de ter autonomia, não só financeira, mas em todos os setores da vida. Acho que sou uma mulher de atitude e talvez seja por isso, sim, que as pessoas pensam em mim para esses papeis. Adoro fazer essas mulheres que são muito fortes, mas também não têm tudo resolvido na vida e não são perfeitas. Saem um pouco do trilho – eu gosto”.

“Esse nível mais hard eu nunca fui, não”

Já fez muita loucura por amor? “Não nesse nível…” Mas já fez uma tatuagem [para o ex Rômulo Arantes Neto]… “Mas isso não é uma loucura, eu diria. Loucura seria machucar alguém. Ou se machucar, ou incriminar alguém… Algo mais sério. Esse nível mais hard eu nunca fui, não”.

“Amo e odeio, como tudo que eu faço”

Fora a novela, tem a carreira de cantora decolando, tem a marca de roupas… “Muita coisa! Estou feliz. Sempre gostei de tudo que estou fazendo, mas não tinha oportunidade. Finalmente, estou conseguindo parcerias que pensam como eu, que acreditam na minha visão e a gente consegue desenvolver coisas muito legais. A vida de cantora está incrível. Vou lançar o clipe de ‘Bandida’ amanhã, estou nervosa. Tem um EP pra sair no meio do mês que vem, junto com um show no Multishow. Tem outros dois singles… Vai ser um EP e um álbum até o fim do ano…” E quando você se escuta cantando… “Amo e odeio, como tudo que eu faço”. (por Michelle Licory)