03.04.2020  /  11:01

Claudia Leitte troca o “sai do chão” pelo “até o chão” em parceria com Mc Zaac: “O axé me permite experimentar vários ritmos e eu gosto disso”

Claudia Leitte e Mc Zaac / Crédito: Reprodução

Claudia Leitte lança nesta sexta-feira a segunda parte de “Bandera Move”, álbum trilíngue que reúne músicas gravadas em português, inglês e espanhol. E para dar o ‘start’ nessa nova fase, a cantora escolheu a música ‘Rebolada Bruta’, em parceria com o funkeiro paulista MC Zaac. O clipe, gravado em novembro, com direção de Jacques Dequeke, está disponível no Youtube, e destaca o lado pop da cantora. Glamurama bateu um papo com Claudinha Bagunceira sobre expectativas X realidade. Dá uma espiada! (por Jaquelini Cornachioni)

Glamurama: Como você criou esse novo single ‘Rebolada Bruta’? E o que as pessoas podem esperar do clipe?
Claudia Leitte: O clipe está com uma proposta de iluminação muito massa e diferente do que fiz até agora. Conto com a direção do Jacques Dequeker. Também usei cinco looks com muitas cores. Gravar com o MC Zaac também foi divertido, ele sempre está muito disposto e é bem-humorado.

G: Como surgiu a ideia da colaboração com o Mc Zaac?
CL: Aconteceu por intermédio de Augusto Cabrera, que produziu ‘Baldin de Gelo’ e está sempre antenado a essência do meu trabalho. O Zaac é um talento incrível, inclusive como compositor. ‘Rebolada Bruta’ foi escrita por ele.

G: Pretende lançar mais músicas com um toque ‘funk’?
CL: Ao longo de minha carreira eu já compus e cantei outras músicas funk, como em 2011, que lancei a música “Preto” em parceria com ‘Os Havaianos’. O axé me permite experimentar vários ritmos e eu gosto disso.

G: Em época de desafios de dança na web, acredita que a coreografia dessa música também vai contagiar os internautas?
CL: Essa música tem sim uma coreografia, mas o barato dela é que as pessoas podem dançar cada um a sua maneira. Não há certo ou errado. Eu quero ver todas as danças no Tiktok e em todas as outras redes. Aliás, eu sempre que posso estou por lá montando vídeos.

G: Com a quarentena do Coronavírus, o que mais mudou na sua rotina? Como tem sido com os filhos?
CL: Estamos ficando em casa e meus filhos estão temporariamente sem aula. Seguimos as recomendações da OMS e também dos órgãos de saúde.

G: E no trabalho: você teve que adiar lançamentos e shows? Quais os planos para depois da quarentena?
CL: Quero voltar aos palcos para me apresentar para todos. Não vejo a hora de voltar a ter essa troca com as pessoas, de poder estar junto, dançar e abraçar. Também temos outros lançamentos mais para frente, mas neste momento temos muitas músicas para curtir com a segunda parte de “Bandera Move”, cada um na sua casa.