17.03.2020  /  9:00

Clássicos da literatura para aliviar o peso do isolamento compulsório por conta do coronavírus. À lista!

Boa leitura em tempos de quarentena // Reprodução

Em tempos de coronavírus e pedidos para que todos evitem sair de casa, em uma tentativa de conter a disseminação da doença que tomou conta do planeta, que tal mergulhar em um bom livro? A leitura preenche a alma, que anda um tanto aflita nesses dias de pandemia e incertezas, além de enriquecer o intelecto. E para não errar na escolha, a dica é apostar em clássicos da literatura, nacional e internacional. Selecionamos cinco livros que, com certeza, vão tornar qualquer quarentena mais suave. Anote aí:

1- ‘Água viva’ – Clarice Lispector. Editora Rocco (2019)
Longo texto ficcional em forma de monólogo, lançado pela primeira vez em 1973, poucos anos antes da morte de Clarice que, nessa época, já era um dos maiores nomes da nossa literatura. Água viva é um desafio emocionante para quem lê ou relê Clarice Lispector. Traz uma linguagem que não se perde no tempo; ao contrário, é ricamente metafórica, em que coisas, ações e emoções do dia-a-dia se transformam em grandiosas digressões indagadoras sobre o sentido da existência e da vida.

2- ‘Nêmesis’ – Philip Roth. Companhia das Letras (2011)
Aos 23 anos, Eugene “Bucky”, cantor, professor de educação física e inspetor de uma escola judaica de Newark, leva uma vida pacata, porém é atormentado pelo fato de não poder lutar na guerra ao lado de seus contemporâneos, em razão de sua miopia fortíssima. Tudo muda num dia no verão de 1944, quando um grupo de adolescentes encrenqueiros de ascendência italiana aparece no colégio e cospe no chão, ameaçando a todos com uma doença terrível. Logo depois do incidente, vários alunos contraem poliomielite, para desespero do professor. Esse é o ponto de partida de ‘Nêmesis’.

3- ‘Crônica de uma morte anunciada’ – Gabriel Garcia Márquez. Editora Record (2014)
A morte de Santiago Nasar está anunciada desde a primeira linha da história. Toda a comunidade sabe do iminente assassinato movido por vingança, mas nada nem ninguém o salva de seu trágico fim. O autor monta um quebra-cabeça com a sobreposição de versões do último dia do jovem do ponto de vista de diferentes testemunhas, utilizando o rigor jornalístico nesta construção.

4- ‘Campo geral’ – João Guimarães Rosa. Editora Global (2019)
Miguilim é o menino que protagoniza essa novela de João Guimarães Rosa, que mostra o mundo pelos olhos dele. Os leitores se envolvem e se emocionam ao tomar contato com as impressões e conclusões do menino sobre o mundo que o cerca. O convívio familiar, o cultivo das amizades, a dura vida no sertão e a necessidade de encarar os desafios que a condição humana apresenta são elementos centrais dessa narrativa.

5- ‘Anedotas do destino’ – Karen Blixen. Editora Sesi SP (2019)
Última coletânea de contos da autora publicada quando ainda estava viva, em 1958. Entre os cinco contos que a compõem está ‘A Festa de Babette’, que ficou conhecido por conta do filme de mesmo nome lançado em 1987.

6- ‘O amor de Mítia’ – Ivan Búnin. Editora 34 (2016)
Publicado originalmente em 1925, é uma das obras-primas de Ivan Búnin (1870-1953), o primeiro escritor russo a receber o Prêmio Nobel de Literatura. O livro conta uma história de amor com final trágico.

7- ‘Coral e outros poemas’ – Sophia de Mello Breyner Andresen. Companhia das Letras (2018)
Antologia que reúne poemas de uma das vozes mais marcantes da literatura portuguesa. O mar é um dos elementos centrais da lírica de Sophia de Mello Breyner Andresen. As “praias lisas”, a “linha imaginária” e as “ondas ordenadas”, em seus poemas, simbolizam a mais profunda beleza, um segredo íntimo, “um milagre criado só para mim”.

8- ‘A vida pela frente’ – Émile Ajar (Romain Gary). Editora Todavia (2019)
Vencedor do prêmio Goncourt, este livro tornou-se um dos romances mais vendidos do século 20. Apesar de publicado há mais de 40 anos, parece mais atual do que nunca. O personagem Momo vive sob os cuidados de Rosa, uma senhora judia. Sobrevivente de Auschwitz, ela cuida de diversas crianças em seu apartamento. É nesse ambiente que Momo conta sua história.

9- ‘Moby Dick’ ou ‘A Baleia’ – Herman Melville. Editora 34 (2019)
Lançado em 1851, é um dos livros de aventura mais emblemáticos da literatura universal. A história do capitão Ahab, em busca de vingança contra o terrível cachalote que arrancou sua perna, entrou para a cultura popular, inspirando criações nas artes plásticas, no teatro, no cinema e na música.

10- ‘Coração das trevas’ – Joseph Conrad. Editora Ubu (2019)
Uma das mais importantes obras da literatura mundial e inspiração para o filme ‘Apocalypse Now’. “Não quero aborrecer muito vocês com o que aconteceu comigo”, diz o marinheiro Marlow aos colegas de navegação enquanto anoitece no Tâmisa. Ele começa então a relatar sua experiência no período em que esteve à frente de um barco a vapor em um rio na África. Ao chegar no Congo, Marlow conta ter recebido a missão de resgatar Kurtz, um brilhante comerciante que aparentemente havia perdido a sanidade.